Presidente da Assembleia saúda visita de Núncio Apostólico aos Açores

0
22
blank

O Presidente da Assembleia Legislativa dos Açores, Luís Garcia, recebeu esta tarde, em
audiência de apresentação de cumprimentos, o Núncio Apostólico em Portugal, Ivo Scapolo, a quem saudou de forma especial, agradecendo a sua visita aos Açores num momento de
“simbolismo acrescido”, em que a Diocese de Angra e ilhas dos Açores se encontra sem Bispo.

Recorde-se que a Diocese açoriana está sem Bispo desde novembro de 2021, na sequência da saída do Bispo D. João Lavrador para a diocese de Viana do Castelo, estando desde então a ser gerida pelo Cónego Hélder Fonseca Mendes, que assumiu o cargo de Administrador diocesano da Sé de Angra do Heroísmo, não havendo ainda data prevista para a nomeação de um novo.

Durante a audiência com o representante da Santa Sé perante o Estado português, o Presidente Luís Garcia agradeceu ainda a solidariedade manifestada pelo Núncio apostólico nesta sua visita aos Açores, numa altura em que se vive uma crise sismo-vulcânica em São Jorge, situação que, na sua opinião, “tende a tornar mais evidente a religiosidade do nosso Povo”.

O Núncio apostólico em Portugal chegou aos Açores no domingo, dia 10 de abril, tendo passado já por São Miguel e pelo Faial, devendo permanecer nos Açores até ao dia 17 de abril, para presidir às celebrações pascais na Sé Catedral de Angra do Heroísmo, o que acontece pela primeira vez.

Sublinhe-se que um núncio apostólico é um representante diplomático permanente da Santa Sé, e não do Estado da Cidade do Vaticano, que exerce o posto de Embaixador no País para onde é nomeado, representando a Santa Sé perante o Estado e perante a Igreja local.

Ao serviço diplomático da Santa Sé desde 1984, o italiano Ivo Scapolo já exerceu missão nas Representações Pontifícias em Angola, Portugal, Estados Unidos da América e na Secção para as Relações com os Estados da Secretaria de Estado de Sua Santidade.

Tornou-se Núncio apostólico em março de 2002, quando foi nomeado representante da Santa Sé para a Bolívia, onde permaneceu até 2008. Depois disso, foi Núncio Apostólico no Ruanda (2008-2011) e no Chile (2011-2019), chegando a Portugal em 2019, depois de ter sido nomeado Núncio Apostólico em Portugal pelo Papa Francisco, funções que desempenha até hoje.