Presidente da Câmara lança repto para comemoração dos 65 anos do ‘Azorean Refugee Act’

0
34
blank

Lembrando que a 2 de setembro se assinala os 64 anos da aprovação do ‘Azorean Refugee Act’, o Presidente da Câmara Municipal da Horta lança o desafio de celebrar a efeméride de forma especial.

“Chegou o momento de equacionarmos uma forma de honrar e mostrar gratidão a John F.
Kennedy e John Pastore por este tão importante acontecimento, que permitiu que milhares de açorianos tivessem a oportunidade de melhorar a sua qualidade de vida em território norte-americano”, afirmou Carlos Ferreira sobre a aprovação do diploma que celebra 65 anos em 2023.

“Em 1958, os Estados Unidos da América abriram as portas à emigração faialense e açoriana a cerca de 12 mil pessoas e, devido ao mecanismo de reunificação familiar, nas décadas seguintes a mais de 175 mil açorianos”, destacou o autarca no convívio com os emigrantes, realizado pela primeira vez no emblemático Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, local que motivou a emigração faialense e consequente aprovação do ‘Azorean Refugee Act’.

Celebrado desde 2015, aquando das comemorações dos 40 anos da Semana do Mar, o Dia do Emigrante pretende reunir os emigrantes que estão de visita à sua ilha natal e criar momentos onde se partilham as memórias que os acompanham na diáspora.
Depois de uma visita guiada ao espaço, o Presidente da Câmara Municipal da Horta agradeceu ainda a presença dos emigrantes e das suas famílias e reconheceu a importância destes momentos, inclusive para as novas gerações de luso-descendentes, que ao virem à terra dos pais e dos avós, encontram as suas raízes, mas também uma ilha em desenvolvimento.

“É sempre com redobrada alegria que o Município da Horta vos recebe, e em vós homenageia todos quantos saíram desta ilha na procura de uma vida melhor, bem como todos aqueles que tendo um dia saído, regressaram e aqui vivem, contribuindo para uma ilha mais próspera”, considerou Carlos Ferreira, indicando que “a Câmara da Horta reconhece o vosso esforço e releva da maior importância todas as vezes que regressam à nossa ilha, trazendo às freguesias e cidade, a alegria que a saudade sempre reclama de quem está longe”.

No final da sua intervenção, o edil deixou o convite à comunidade emigrante para participar na Semana do Mar, as maiores festas concelhias, que decorre de 5 a 14 de agosto.