Projeto “O Ambi vai à Escola” – CMH lança concurso de sensibilização ambiental junto dos mais pequenos

0
5

A Câmara Municipal da Horta (CMH) está a promover o concurso “O Ambi vai à escola” que tem como objetivo incentivar a separação do papel/cartão e do plástico/metal junto das escolas com vista a sensibilizar a comunidade escolar para a importância da reciclagem.

O concurso foi lançado na manhã de ontem, pelo presidente da Câmara, José Leonardo Silva, no âmbito da primeira sessão deste novo projeto, que decorreu na Escola Básica António José de Ávila, dirigida à turma do 1.ºA.

Quem também marcou presença nesta apresentação foi a mascote do projeto – o Ambi – que aproveitou a ocasião para realizar um jogo sobre como reciclar com as crianças presentes. 

No concurso agora lançado, as crianças terão de recolher papel/cartão e plástico/metal e colocar nos contentores disponibilizados às escolas pela autarquia. A escola que maior quantidade destes resíduos conseguir alcançar até ao mês de maio, altura em que termina a competição, será a vencedora.

Esta iniciativa vai abranger 27 turmas e 458 alunos do primeiro ciclo do ensino básico.

Segundo o presidente da autarquia, este concurso insere-se na estratégia do município de promoção e incentivo à reciclagem e preservação do meio ambiente, incutindo na comunidade escolar hábitos sustentáveis. “O objetivo deste projeto é chamar mais uma vez a atenção das escolas para a necessidade da reciclagem, para que a ilha do Faial e o concelho da Horta tenham um melhor ambiente”, explicou José Leonardo Silva.

No entender do edil, este concurso “é também um estímulo” para colocar a cidade da Horta “na linha da frente nas questões ambientais”. O autarca salientou ainda que este ano, e no que à matéria de reciclagem diz respeito, apesar da crise que se traduziu na redução do consumo a CMH manteve os valores de recolha do ano passado. “Reciclámos 202 toneladas de papel/cartão, 198 de vidro e 53 de plástico”, divulgou José Leonardo, revelando ainda a título de curiosidade que “cada faialense conseguiu exportar 13,47 kg de cartão, 12,17 kg de vidro e 3,54 kg de plástico”.

Para o edil, este projeto é a prova de que “o concelho tem estado muito atento às questões ambientais” e por esse motivo considerou que “é preciso continuar a trabalhar”, reforçando a importância do projeto junto das escolas “como o melhor sítio” para transmitir e implementar a importância da separação de resíduos.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO