Prova de força de Hamilton em Barcelona na quinta ‘dobradinha’ da Mercedes

0
3

A Mercedes conquistou hoje a quinta ‘dobradinha’ consecutiva no Mundial de Fórmula 1, graças à vitória do britânico Lewis Hamilton no Grande Prémio de Espanha, com 4,074 segundos de vantagem sobre o colega finlandês Valtteri Bottas.

Hamilton, que regressou à liderança do Mundial de pilotos, deu um passo decisivo para o triunfo logo no arranque, ao surpreender Bottas, que partira do primeiro lugar da grelha, pelo interior da primeira curva do circuito de Barcelona, palco da quinta prova do campeonato.
O finlandês viu-se mesmo apertado entre o Mercedes de Hamilton e o Ferrari do alemão Sebastian Vettel, que tentava chegar à liderança pelo lado de fora da curva.
“Foi muito apertado”, admitiu Bottas, considerando que perdeu a corrida “no arranque”, ainda antes da primeira curva: “Houve um comportamento estranho na embraiagem e foi aí que perdi”, explicou.

A partir daquele momento, Hamilton geriu o ritmo da corrida, até à volta 52 das 66 previstas, altura em que um acidente entre Lance Stroll (Racing Point) e Lando Norris (McLaren) obrigou à entrada do ‘safety car’ em pista para os comissários limparem a gravilha do asfalto.
A Mercedes aproveitou para mandar Hamilton às ‘boxes’ trocar de pneus. Com os carros a rodarem juntos outra vez, Hamilton manteve a concentração e não se deixou surpreender no reinício da corrida. “Este é um carro fantástico, mas nem sempre nos damos bem”, disse o campeão mundial, que dispõe de sete pontos de vantagem sobre Bottas no Campeonato do Mundo, considerando que “foi um arranque interessante”.
Sobre as cinco ‘dobradinhas’ consecutivas, o britânico considerou que “é histórico”, assim como histórico foi o facto de ter conseguido a volta mais rápida da corrida pela primeira vez esta época: “Já não era sem tempo”, sublinhou, até porque, este ano, a melhor volta em cada corrida vale um ponto extra no campeonato.
Este foi o 76.º triunfo de Lewis Hamilton, terceiro da época. O britânico está, agora, a 15 do recorde de 91, detido pelo alemão Michael Schumacher, quando faltam disputar 16 provas na temporada.
O holandês Max Verstappen (Red Bull) conseguiu suportar o ataque final de Sebastian Vettel – que se viu ultrapassado quando parou nas ‘boxes’ pela segunda vez para trocar de pneus – e terminou no degrau mais baixo do pódio, a 7,679 segundos do vencedor.
Este resultado permitiu ao piloto da Red Bull ascender ao terceiro lugar do campeonato, com dois pontos de vantagem sobre Vettel, que é quarto colocado.
No Mundial de construtores, a Mercedes é líder destacada, com 217 pontos, contra 121 da Ferrari e 87 da Red Bull.
A próxima corrida do Mundial de F1 será o Grande Prémio do Mónaco, em 26 de maio.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO