PS com dificuldade em aceitar nível de emprego mais alto dos últimos 14 anos

0
0
blank
dr

O deputado do PSD/Açores Joaquim Machado disse esta manhã que “o PS tem alguma dificuldade em aceitar que a taxa de desemprego é a mais baixa dos últimos 14 anos na Região, quando devia estar satisfeito com a dinâmica da nossa economia, hoje com mais de 117 mil açorianos com emprego”.

Joaquim Machado respondia assim ao Partido Socialista no que toca ao Emprego no arquipélago, na sessão de apresentação do Orçamento para a Região Autónoma dos Açores (ORAA2023), na Assembleia Legislativa da Região, na Horta.

“Hoje verifica-se o nível mais alto de sempre de emprego nos Açores e, consequentemente, uma taxa de desemprego que é a mais baixa da última década. Tudo isto, ao mesmo tempo que também diminui o número de pessoas integradas em programas ocupacionais”, reiterou o parlamentar social-democrata.

O deputado dos PSD/Açores apontou, tendo por base as estatísticas de outubro, que “até setembro de 2022, mais 7.500 açorianos ganharam estabilidade profissional, assinando um contrato sem termo. Ou seja, integrando o quadro de uma empresa, instituição ou organismo público”, reforçou.

Mesmo em relação ao emprego precário, Joaquim Machado indicou que se assiste igualmente a uma mudança de panorama com o número de contratos a termo a aumentar para mais 800 açorianos, elogiando o tecido empresarial “pela capacidade de iniciativa”.

Isto é, atualmente “o aumento do emprego e a redução da precariedade são já, portanto, marcas fortes do atual Governo Regional”, salvaguardou.

Daí “não compreender a razão pela qual o PS está agastado, triste, irritado e revoltado, com uma coisa que afinal é tão boa”, afirmou, lamentando a postura “surreal e dramática, disforme da realidade”.

Uma coisa é certa para o parlamentar social-democrata, “o PS não devia ficar aborrecido e atirar culpas ao Governo, por termos a taxa mais baixa de desemprego dos últimos 14 anos. Libertem-se disto, olhem para a frente. Dêem uma ajuda ao Governo para fazer ainda mais e melhor do que aquilo que estamos a fazer”, disse.

Para Joaquim Machado, “felizmente há mais emprego, mais emprego estável e estamos a trabalhar para que seja mais emprego com maior dignidade, designadamente através da remuneração”.

“A cada dia que passa fico cada vez mais convencido de que os açorianos sabem o que fazem. E sabem muito bem o que fizeram em outubro de 2020”, concluiu Joaquim Machado.