PS mantém confiança no setor agrícola açoriano após fim do regime das quotas leiteiras

0
15

“O trabalho que o Governo dos Açores tem vindo a desenvolver na preparação do próximo Quadro Comunitário de Apoio dá-nos a plena confiança que temos um setor agrícola que continuará a ser um alicerce da economia regional”, afirmou Duarte Moreira.

Duarte Moreira lembrou que “o PS e o próprio Governo Regional dos Açores, a par das outras forças políticas açorianas, têm lutado ao longo de vários anos pela manutenção do regime de quotas leiteiras”, adiantando que “o desmantelamento do sistema de quotas leiteiras coloca novos desafios, para os quais a Região se tem vindo a preparar ao longo dos anos, a diversos níveis”.

Para o parlamentar socialista, “todo o investimento feito nas infraestruturas agrícolas públicas” e também “ao nível da melhoria e do investimento feito nas explorações pelos próprios agricultores, resultantes dos apoios que o Governo dos Açores, através das medidas comunitárias têm disponibilizado”, provocaram uma “enorme revolução em todo o setor agrícola regional”.

Duarte Moreira considerou que a “agricultura e a pecuária são atualmente totalmente diferentes daquilo que eram, quando o Partido Socialista foi eleito pelos Açorianos para gerir os destinos da Região”.

Segundo destacou, os “indicadores falam por si” tendo havido “um crescimento desde essa altura na produção de leite de mais de 53% e uma reconversão das nossas explorações”, que provocou “um aumento significativo da produção de leite por exploração, porque triplicou desde 1996 até 2013”.

Por outro lado, ao “nível da diversificação dos produtos lácteos, basta ver em termos percentuais a enorme produção de iogurtes, a transformação que houve a nível de produções de queijo – em quantidade e em diversificação de tipos de queijo produzidos na Região”.

Falando sobre os indicadores de qualidade dos produtos açorianos, Duarte Moreira destaca “as alterações ao nível sanitário” que conferiram aos “Açores o atual estatuto de referência ao nível das zoonoses, com o estatuto de oficialmente indemnes, em praticamente todas as ilhas”.

Duarte Moreira considera que a “produção de carne na Região mudou de paradigma ao nível da sua comercialização”, tendo passado de “uma situação em que a Região era essencialmente exportadora de gado vivo para a exportação de carne e de carcaças, um pouco por todas as ilhas”. Com efeito, “passámos de 30 mil animais abatidos para cerca de 70 mil cabeças de gado abatidas por ano, no somatório de todas as ilhas, aumento que se deve essencialmente ao aumento das exportações para fora da Região”, revelou.

Para o deputado socialista, “toda esta evolução traduz o trabalho que tem vindo a ser feito”, dando razões para crer que “iremos ultrapassar mais este desafio do desmantelamento do sistema de quotas leiteiras”, para o qual “o Governo Regional tem vindo a trabalhar no apoio às produções e às unidades de transformação da Região”.

 

“Temos desafios, temos problemas, mas estamos cá todos para trabalhar, para os resolver, em conjunto com os agricultores da Região”, concluiu Duarte Moreira. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO