PS preocupado com cortes no Plano Operacional Açores 2030 na competitividade empresarial e investigação e desenvolvimento

0
28
DR
DR

O presidente do Grupo Parlamentar do PS manifestou, esta terça-feira, a sua preocupação com a redução de verbas na proposta do Governo para o Plano Operacional Açores 2030, designadamente nas áreas da competitividade empresarial, investigação, desenvolvimento e inovação.

Vasco Cordeiro falava na cidade da Horta, no plenário da Assembleia Legislativa Regional.

“Preocupa-nos ver neste documento uma redução de cerca de 84 milhões de euros nas verbas para a competitividade empresarial e uma redução nas verbas para investigação, desenvolvimento e inovação”, adiantou o socialista.

Outra das preocupações evidenciadas por Vasco Cordeiro prende-se com “o grande aumento, na ordem dos 15 milhões de euros, para as verbas administrativas de gestão do programa”.

“No momento em que se avizinha a saída de uma crise económica e de uma crise financeira, em que os empresários Açorianos não têm um sistema de incentivos para o investimento privado que os possa auxiliar no planeamento dessa recuperação, é um facto que merece reconhecimento”, frisou.

O líder parlamentar dos socialistas Açorianos manifestou, ainda, a sua preocupação com o facto de “existir nesta proposta quatro vezes menos verbas para a investigação, desenvolvimento e inovação do que havia no anterior Quadro Comunitário”.

“Se nós queremos basear uma recuperação económica no conhecimento, na inovação, nós temos dúvidas que esta seja a opção correta”, alertou o parlamentar socialista.

“Este período de programação financeira 2021-2027 é uma oportunidade única pelo montante de recursos financeiros estão à disposição da nossa Região, pelo efeito conjugado dos vários programas e instrumentos, designadamente o REACT-EU, que reforçou o PO 2020 ou o PRR. Esta é uma oportunidade única, porque a Região terá ao seu dispor, fruto de uma negociação feita pelo anterior Governo Regional do Partido Socialista, quase o dobro dos fundos comunitários atribuídos no período entre 2014 e 2020”, finalizou o líder parlamentar do PS, Vasco Cordeiro.