PSD/Açores destaca Francisco Sá Carneiro como “figura maior” da Democracia

0
39
DR/PSD
DR/PSD

O secretário-geral do PSD/Açores destacou hoje o “papel ímpar” de Francisco Sá Carneiro na consolidação do regime democrático em Portugal e considerou que o histórico líder social-democrata é uma “figura maior” da democracia nacional.

“No dia em que se assinala o 40º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro, endereço, em nome de todos os militantes sociais-democratas açorianos, uma palavra de sentido reconhecimento e agradecimento pelo papel ímpar que o líder histórico do Partido Social Democrata desempenhou na consolidação da Democracia em Portugal”, afirmou Luís Pereira.

“Mais do que uma referência para todos os sociais-democratas, Francisco Sá Carneiro é, acima de tudo, uma figura maior da democracia portuguesa”, sublinhou.

Em mensagem enviada ao presidente do PSD nacional, Rui Rio, e à presidente do Conselho de Administração do Instituto Francisco Sá Carneiro, Maria da Graça Carvalho, o dirigente social-democrata açoriano referiu que “várias gerações de portugueses e açorianos que não conheceram Francisco Sá Carneiro olham, ainda assim, para a sua memória, as suas palavras e a sua entrega à causa pública como um referencial de dedicação a Portugal e aos portugueses”.

Segundo Luís Pereira, “este facto prova bem a grandeza que teve, e continua a ter, a figura de Francisco Sá Carneiro, inspirando quem o conheceu pessoalmente, nas suas visitas a estas nove ilhas, e àqueles que só dele ouvem testemunhos”.

“Na sede regional do PSD/Açores, numa sala que já testemunhou grande parte da história deste nosso partido nos Açores, e ao lado da figura de João Bosco Mota Amaral, continua presente uma imagem de Francisco Sá Carneiro como uma lembrança diária dos obreiros do PSD, da autonomia regional e da democracia portuguesa”, frisou.

O secretário-geral do PSD/Açores felicitou ainda o Instituto Francisco Sá Carneiro “pela emissão online que hoje promove, adaptada à realidade que vivemos, evocando a memória de Francisco Sá Carneiro”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO