PSD/Açores questiona Governo sobre situação da praia de Porto Pim

0
52
(c) Hugo Moreira

O deputado do PSD/Açores Carlos Ferreira questionou o Governo Regional sobre a acumulação de algas no areal da Praia de Porto Pim, na ilha do Faial, os meios disponíveis para abordar a situação e as medidas adotadas pelo Executivo para resolver ou atenuar o problema.

Em requerimento entregue na Assembleia Legislativa dos Açores, o parlamentar social-democrata eleito pelo Faial destacou a “beleza invulgar” da baía de Porto Pim e o facto de ser uma das zonas balneares “mais frequentadas pelos residentes e pelos turistas que visitam a ilha do Faial, não deixando ninguém indiferente”.

Carlos Ferreira lembrou que, em anos anteriores, a zona balnear foi assolada por problemas, dando como por exemplo os períodos de interdição no verão de 2019, motivados pela deteção de microrganismos na areia.

“Este ano tem sido particularmente visível a acumulação de algas na Praia de Porto Pim, mesmo em dias em que se percebe que a parte superior do areal foi limpa, mas a parte alagada da areia regista uma elevada quantidade de algas acumuladas, um problema que afeta a imagem e a qualidade daquela zona balnear”, disse.

Segundo o deputado do PSD/Açores, “ao afetar a Praia de Porto Pim, esta situação prejudica também de forma direta os residentes e visitantes que pretendem usufruir da zona balnear, causando sérios prejuízos à imagem de destino turístico de excelência que o Faial e os Açores pretendem transmitir”.

Nesse sentido, o parlamentar social-democrata pretende que o Governo Regional explique o que passa na Praia de Porto Pim em matéria de “arrojamento e acumulação de algas”, que indique se os recursos humanos e materiais são suficientes para o efeito e informe as “medidas que já adotou ou tenciona adotar com vista a eliminar ou atenuar o problema identificado”.

No requerimento, Carlos Ferreira questionou ainda o Governo sobre a maquinaria adquirida nos últimos anos e se os equipamentos existentes são também adequados à intervenção em matéria de microplásticos, de modo a “zelar de forma conveniente por uma baía privilegiada pela natureza”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO