PSD questiona avarias nos serviços de Radiologia do HSEIT e do Centro de Saúde de Angra

0
24
DR

A deputada do PSD/Açores, Mónica Seidi, questionou o Governo Regional sobre os recentes constrangimentos verificados nos Serviços de Radiologia do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira (HSEIT) e do Centro de Saúde de Angra do Heroísmo (CSAH), “por avaria de equipamentos, sendo que as mesmas ocorreram em alturas diferentes, permitindo a entreajuda das instituições, não deixando de ser uma situação preocupante”, considerou.

 

A social democrata quer saber se as avarias ocorridas nos equipamentos das duas instituições, “no caso do HSEIT a nível dos “colimadores”, e no CSAH a nível da “ampola”, se poderão ter devido a falhas de manutenção dos mesmos ou a demora anormal na aquisição de peças”, pedindo também informações sobre “quem tem a responsabilidade de proceder a essa manutenção e com que frequência a mesma é feita, solicitando assim cópias dos contratos bem como da respetiva calendarização de manutenção dos mesmos”, adianta.

 

Mónica Seidi sublinha que o funcionamento do Serviço Regional de Saúde (SRS) “deve assentar em eficácia e segurança, evitando assim constrangimentos cujos principais visados são os utentes”.

 

Nos casos em apreço, “os utentes que se dirigiram às Urgências, e doentes dos vários Serviços de Internamento do HSEIT, com indicação para fazer uma radiografia, foram transportados em viatura da instituição até ao CSAH para a realização do exame. Ou iam de ambulância se a sua condição clínica assim o exigisse”, explica.

 

“Embora com natureza de avarias diferentes, ambos os casos causaram naturais constrangimentos aos utentes do SRS, sendo que, no caso do Centro de Saúde, a avaria durou mais de 6 meses, mesmo se os utentes se puderam deslocar à Praia da Vitória, se bem que em meios próprios”, relata a deputada.

 

Mónica Seidi sublinha que, “apesar desta situação, não temos informação de que algum utente com indicação clínica para a realização de uma radiografia urgente não a tivesse feito”.

 

Assim mesmo, a parlamentar quer saber “em que ano foram adquiridos os 3 equipamentos avariados e se foram ou não sujeitos a grande reparações desde a sua aquisição, permitindo assim o prolongamento da sua vida útil” que, face ao número de exames realizados “poderão ou não estar obsoletos”, questiona.

 

No caso do HSEIT, a social democrata lembra que “existem instalações físicas disponíveis e que são várias as valências da Radiologia, realizando diariamente inúmeros exames”, e solicita à tutela “uma previsão para a compra de mais um aparelho de Raio-X e de mais um aparelho de TAC, pois o atual tem mais de 10 anos”, conclui.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO