República com “compromisso escrito” para manter voos diretos para Lisboa

0
33
DR
DR

Rui Paiva

Afinal, foi apenas fumaça. As ligações directas entre o Faial, o Pico e Santa Maria com Lisboa, cuja continuidade esteve (aparentemente) em risco, vão continuar. Pelo menos a fazer fé nas palavras do secretário regional dos Transportes, Turismo e Energia, que revelou a boa-nova durante o plenário deste mês, a propósito de uma iniciativa do BE para assegurar a manutenção daquelas rotas.

“Graças à ação direta do presidente do Governo dos Açores foi alcançado um compromisso escrito por parte do Governo da República. Em resposta à referida carta, o gabinete do senhor primeiro-ministro informou que o Governo da República está a preparar as diligências necessárias para a abertura do concurso público relativo às ligações áreas entre Lisboa e ilhas do Faial, Pico e Santa Maria”, anunciou Mota Borges no parlamento, confirmando algumas notícias que surgiram pouco antes da discussão do diploma a dar conta da novidade.

Enaltecendo o “dever cumprido” do Governo, Mota Borges fez questão de colocar o mérito na ação do próprio presidente do executivo, José Manuel Bolieiro. O secretário regional disse ter feito um “trabalho de sensibilização” ao longo do ano passado junto de vários ministérios, trabalho este que se revelou infrutífero: “Face à falta de uma resposta concreta, estas vias de diálogo esgotaram-se. O que obrigou à intervenção direta do presidente do Governo dos Açores junto do primeiro-ministro”, afirmou, acrescentando que o atual modelo de obrigações de serviço público (OSP), “ao não prever indemnizações compensatórias aos operadores”, levou a Azores Airlines a “acumular prejuízos superiores a 40 milhões de euros no âmbito do serviço prestado” naquelas rotas.

Antes, o coordenador do BE/Açores, António Lima, justificou que a proposta pretendia deixar clara a posição da Assembleia Regional sobre as ligações entre as três ilhas e o continente, que disse serem rotas de “serviço público”, e que, por isso, não devem ser avaliadas do ponto vista comercial.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura