Residência artísticas, mostras e concertos em setembro no Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas

0
37
DR

A Direção Regional da Cultura, através do Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, promove, durante o mês de setembro, a realização de duas residências artísticas, além de concertos e atividades para os mais novos, entre outras iniciativas.

A residência artística de Né Barros decorre entre 1 e 6 de setembro, envolvendo o projeto da peça ‘IO’, que reúne o contraste da paisagem e dos elementos, onde se produzem ambientes extremos como vulcões ou glaciares, e a dimensão ficcional e mítica de personagens, como identidades também elas contrastantes.

“Paisagens, Máquinas e Animais” é o subtítulo de uma série de projetos a desenvolver nos próximos dois anos, que se iniciam agora com este projeto de Né Barros, com os intérpretes Beatriz Valentim e Bruno Senune e música de José Alberto Gomes.

A antestreia do espetáculo “IO – Paisagens, Máquinas e Animais”, tem lugar a 6 de setembro, às 21h30, na ‘Blackbox’, no Arquipélago.

Entre 9 e 20 de setembro, o coletivo Outro estará em residência artística, tendo o espetáculo “As árvores deixam morrer os ramos mais bonitos” antestreia marcada para 20 de setembro, às 21h30, também na ‘BlackBox’.

A 13 de setembro, pelas 18h00, será inaugurada a mostra expositiva do projeto fotográfico “Despensas – a Tradição de Rabo de Peixe”, de Rubén Monfort.

Esta instalação sintetiza a pesquisa e o olhar feitos por documentários, entrevistas e fotografias a esta tradição popular única da Vila de Rabo de Peixe, por ocasião das festividades em honra do Divino Espírito Santo.

A mostra pode ser visitada na sala do Serviço Educativo do Centro de Artes Contemporâneas, até 17 de novembro.

A 28 de setembro, pelas 17h30, o Arquipélago recebe um concerto de Violas dos Açores, promovido pela Associação de Juventude Viola da Terra.

Este concerto conta com a presença de tocadores de cinco ilhas dos Açores, nomeadamente Alexandre Fontes (Santa Maria), Bruno Bettencourt (Terceira), Jorge Silva (Pico), Rafael Carvalho (São Miguel) e Renato Bettencourt (São Jorge).

A 29 de setembro, pelas 15h00, o Serviço Educativo promove a realização de uma visita–oficina denominada “Estação dos Fenómenos Aquáticos”, dirigida a crianças entre os dois e os seis anos.

Nesta atividade vamos explorar questões como o que existe no mar para perceber que seres ali se podem encontrar e quais os seus perigos.

Para esta atividade, os participantes devem levar o seu animal aquático preferido em forma de brinquedo.

No mês de setembro estão disponíveis por marcação as três atividades que o Serviço Educativo desenvolveu no âmbito da exposição “Estação Meteorológica”, ou seja, a visita–oficina “Estação dos Fenómenos Aquáticos”, para crianças dos dois aos seis anos, onde se vão explorar questões relacionadas com o mar e com os animais que nele habitam, a visita-oficina “Estação intercomunicativa”, destinada a crianças dos seis aos 12 anos, onde os participantes vão criar formas de comunicação através de gestos ou objetos criados por cada um, e a visita-oficina “Estação Meteorológica – Os fenómenos que se movem”, orientada para o público jovem e adulto, onde os participantes vão poder observar e procurar na exposição “Estação Meteorológica” quais os fenómenos em que as artistas se inspiraram, tendo depois a oportunidade de registar, através da fotografia, elementos meteorológicos visíveis no exterior do Arquipélago.

As inscrições para estas e outras atividades do Serviço Educativo devem ser feitas através do formulário disponível no site do Arquipélago, do email [email protected] ou do telefone 296 470 130.

A exposição “Estação Meteorológica”, com curadoria de Sérgio Mah, que apresenta trabalhos em fotografia e vídeo da autoria de Sandra Rocha e de Manuela Marques, continua patente até 20 de outubro.

No espaço das Residências Artísticas está patente a instalação “Fogo Lácteo”, de Mariana Caló e Francisco Queimadela, projeto apresentado no 3.º Ciclo do “Geometria Sónica”, e “Landmark”, de Joaquim Morais Oliveira, uma peça de arquitetura escultórica que foi concebida através de materiais endógenos, nomeadamente a criptoméria, e que aborda questões ligadas à sustentabilidade e às energias renováveis, particularmente a geotermia.

A Direção Regional da Cultura informa que este e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no endereçowww.culturacores.azores.gov.pt.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO