Santiago 3 Prainha 0 – Valeu pelo hat-trick do bom filho…

0
14

Num jogo entre equipas onde os sobressaltos e a reformulação de objectivos e metas foram sendo uma constante ao longo da época, esteve melhor o Santiago que na 2.ª parte tirou partido da inspiração de Filipe Andrade que com um hat-trick selou a vitória dos pauenses por 3-0, deixando o Santiago a 1 ponto do prémio de consolação.

O Prainha até entrou melhor e com o vento pelas costas deu mostras de querer assumir as despesas do jogo, no entanto rapidamente se esfumou esse desidrato dos comandados de Jeremy Maiato. O Santiago sentia dificuldades em colocar em prática as transições rápidas para o ataque, mas perante um Prainha a quem a igualdade a zero parecia satisfazer, ambos os conjuntos acomodaram-se aguardando pela chegada do intervalo.

A fase inicial do 2.º tempo dava indicações que a monotonia da 1.ª parte era para continuar. No entanto à passagem do minuto 63, e após canto cobrado na direita do ataque do Santiago por Ludjero, Pirata guardião do Prainha afastou o esférico com os punhos para fora da grande-área, a bola sobrou para Ludjero que voltou a cruzar largo, surgindo Filipe Andrade em posição nítida de fora-de-jogo, o jovem atacante embalou em direcção à baliza do Prainha e á saída de Pirata atirou fora do alcance deste inaugurando o marcador.

O Prainha despertou com o golo e vai ter o seu melhor período no encontro, os comandados de Jeremy Maiato subiram as suas linhas, aumentaram a intensidade de jogo, e deram mais largura ao seu ataque, em dois lances o empate esteve iminente. Só que esta subida no terreno de jogo por parte do Prainha acabou por ser fatal, pois o Santiago passou a ter muito espaço para explorar nas costas da defesa do Prainha, que descurou por completo o seu último reduto. O Santiago que agora beneficiava do vento pelas costas soube usufruir da melhor forma dessa subida do Prainha, e em dois lances de puro contra-ataque, um deles ao minuto 70, após bom trabalho de João Pacheco no flanco direito assistiu Filipe Andrade para 0 2-0.

Já sobre o minuto 90, e novamente numa transição rápida a “lebre” foi solicitada em profundidade batendo em velocidade a dupla de centrais do Prainha, e na cara do desamparado Pirata voltou a atirar de forma serena fora do alcance deste, selando assim o resultado final.

O Santiago fica assim a 1 ponto de garantir o 5.º lugar (primeiro do grupo da despromoção) que garante o acesso à Taça de Portugal na próxima época.

Joaquim Gato e seus pares que viajaram desde Setúbal tiveram mal na avaliação no lance do qual resulta o 1.º golo do Santiago, no capítulo disciplinar foi demasiado condescendente.        

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO