Saúde para todos

0
10

Fazemos parte duma sociedade ocidental desenvolvida, com uma pirâmide etária envelhecida, sujeita a um nível de stresse elevado no dia-a-dia. Este stresse é geralmente acompanhado por uma alimentação pouco equilibrada, pouco exercício físico, e problemas ao nível do sono. Como consequência direta deste facto existe uma maior incidência de problemas do foro mental (problemas de ansiedade, depressão, fadiga mental) bem como uma incidência cada vez mais representativa em faixas etárias mais jovens, de doenças crónicas como a diabetes, hipertensão arterial, obesidade entre outras. 

Muito embora a O.M.S. tenha definido a saúde como um estado dinâmico, de bem-estar não apenas físico, mental e social mas também espiritual, este conceito tem sofrido várias flutuações tendo em conta outros parâmetros como os sociopolíticos, culturais, tecnológicos, económicos. Nas sociedades ocidentais a saúde é principalmente obtida através de terapêutica na fase pré e pós diagnóstico, sendo geralmente o tratamento com recurso a uma terapêutica de base farmacológica. Dados recentes reportam que nas últimas décadas houve um aumento no consumo de fármacos psicotrópicos e, também aumento no consumo de fármacos para tratamento de doenças crónicas coincidente com um aumento destas doenças na população portuguesa.

Este tipo de atuação terapêutica para além de não garantir a obtenção e manutenção plena e efetiva de saúde apresenta elevados custos ao Sistema Nacional de Saúde e por fim a todos os contribuintes. Assim, importa ter uma atitude pragmática na abordagem para uma maior obtenção nos ganhos de saúde tendo sempre como objetivo a diminuição da incidência destes problemas, racionalizando de forma eficiente os gastos no Sistema Nacional de Saúde.

Timidamente, nas últimas duas décadas, os atores responsáveis pela saúde na nossa sociedade têm implementado um conceito milenar característico das sociedades orientais, nas quais os cuidados da saúde são atingidos com a prática de atividades saudáveis, pretendendo-se assim um efeito preventivo nos problemas de saúde. Está demonstrado que estas práticas tornam o organismo mais resistente ao stresse do dia-a-dia, tendo repercussões também ao nível do bem-estar humano e da sua saúde.

Através dum conjunto de artigos darei ao leitor a oportunidade de conhecer algumas destas práticas saudáveis que podem ter efeitos produtivos no bem-estar físico e psíquico potenciando ganhos positivos em termos de saúde. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO