Taça de Portugal: Seferović liderou reviravolta que dá às águias a meia-final

0
12

Um ‘bis’ do futebolista Seferovic, que começou o jogo no banco de suplentes, deu hoje a vitória ao Benfica frente ao Rio Ave (3-2), e carimbou o passaporte dos ‘encarnados’ para as meias finais da Taça de Portugal.

Neste encontro dos quartos de final, o vilacondense Lucas Piazón inaugurou o marcador logo aos quatro minutos, Franco Cervi igualou aos 13 e aos 29 o iraniano Mehdi Taremi levou os comandados de Carlos Carvalhal a vencer ao intervalo. Seferovic, que rendeu Ferro, acabaria por ser o homem da noite ao bisar aos 64 e 71 minuto.

Em relação ao jogo com o Desportivo das Aves (vitória por 2-1), o treinador do Benfica, Bruno Lage, fez cinco alterações. Chamou ao ‘onze’ Zlobin, Tomás Tavares, Taarabt, Cervi e Vinicius, para os lugares de Vlachodimos, André Almeida, Gabriel, Jota e Seferovic, respetivamente.

Por sua vez, em relação ao triunfo (1-0) frente ao Santa Clara, Carlos Carvalhal deixou no banco Kiezek, Nelson Monte e Pedro Amaral, que foram rendidos por Paulo Vítor, Matheus Reis e Diogo Figueiras.

Ainda alguns adeptos do Benfica se posicionavam nas bancadas e o Rio Ave inaugurou o marcador. Aos quatro minutos, Lucas Piazón, jogador emprestado pelo Chelsea, de livre direto – a castigar falta de Rúben Dias sobre Mehdi Taremi – bateu Zlobin.

Os ‘encarnados’ subiram no terreno, assumiram a posse de bola e, aos 13, chegaram à igualdade por intermédio de Cervi, depois de uma jogada individual de Chiquinho, na direita, e onde Vinicius serviu o argentino para o 1-1.

Com as oportunidades divididas e com o jogo a passar essencialmente pelo meio campo, Matheus Reis conseguiu descortinar uma brecha e, depois de um passe longo, Ferro não dominou a bola, esta sobrou para Mehdi Taremi que, à entrada da área, de cabeça, fez um chapéu a Zlobin (1-2), aos 29 minutos.

Antes do intervalo o árbitro portuense Artur Soares Dias ainda assinalou grande penalidade por falta sobre Taarabt, mas após a intervenção do video-árbitro (VAR) recuou na decisão, considerando, e bem, que Filipe Augusto não tinha carregado o marroquino.

Se na primeira parte o Rio Ave teve com muito mais critério quando tinha a posse de bola, na segunda o Benfica entrou a todo o gás, e, aos 47 minutos, Vinicius deu o primeiro sinal de perigo.

Bruno Lage surpreendeu quando, aos 60, retirou Ferro do eixo da defesa, fazendo recuar Weigl, e colocou em campo Seferovic. O suíço que acabaria por igualar (2-2) quatro minutos depois, após um passe em profundidade de Rúben Dias, e assistência de Vinicius.

Em noite magistral, Seferovic, no segundo remate à baliza de Paulo Vítor, após assistência de Pizzi, colocou o Benfica a vencer (3-2), aos 71 minutos, levando a melhor sobre Matheus Reis e Filipe Augusto.

Numa fase em que os campeões nacionais estavam a gerir o jogo, o médio Samaris foi chamado ao jogo, rendendo o avançado Vinicius, fechando as parcas ações do Rio Ave, que ia vivendo das iniciativas Taremi, Tarantini ou Lucas Piazón.

Antes do apito final tempo ainda para Rafa voltar à competição, após 83 dias de paragem por lesão, para o lugar de Cervi.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO