Teatro de Giz termina ciclo de “ConVersos de Jardim”, amanhã, no Parque da Alagoa

0
23
blank

Teatro de Giz

EM TEMPO DE DÚVIDAS É INDISPENSÁVEL TER ALGUMAS CERTEZAS / ASSEGURAR A INDEPENDÊNCIA FACE AO PODER, FORTALECER IDEOLÓGICA E ESTETICAMENTE O COLETIVO

Começámos pelo princípio e agora avançamos pela linha do tempo dos manifestos do Teatro O Bando, rumo ao findar de um ciclo de ConVersos de Jardim, para que se possam vir a abrir outros. Convida-se todos os amantes do ar livre e do coletivo para a leitura do 2º Manifesto d’O Bando.

(No dia 12 de maio, às 19h, no Parque da Alagoa (Jardim Vitorino Nemésio), com entrada livre.)

Ao longo dos seus já quase 25 anos de trabalho sobre o teatro e de intervenção na comunidade da nossa ilha, o Teatro de Giz foi beber a várias fontes.

Uma delas foi e continua a ser o Teatro O Bando, uma das mais antigas cooperativas culturais do nosso país.

Fundado em 1974, nos alvores da Liberdade, O Bando inspira-nos pela sua estética e pela sua ética, pois tal como eles também nós “elegemos a transfiguração estética enquanto modo de participação cívica e comunitária.”

O Bando pensou, escreveu e publicou 3 manifestos: o 1º em 1980, o 2º em 1988 e o 3º mais recentemente, para celebrar os seus 46 anos.