Teatro Experimental do Porto e Teatro de Giz estreiam “TODA A GENTE – FAIAL”

0
23

Estreia no próximo dia 1 de dezembro, pelas 21h30, no Teatro Faialense, “Uma espécie de moralidade sobre a felicidade”.
Trata-se da peça de teatro “Toda a gente – Faial”, uma co produção do TEP – Teatro Experimental do Porto e do Teatro de Giz.
De acordo com a organização, “este projecto, trabalhado entre a cidade do Porto e a ilha do Faial, compôs-se em duas fases: a primeira teve lugar em Março de 2016, com a estreia da versão original do texto (da autoria de Rui Pina Coelho) e da encenação (da autoria de Gonçalo Amorim) no Porto, concretamente no Teatro Municipal Campo Alegre; a segunda fase incluiu uma residência artística que reuniu na Horta, no mês de outubro, uma equipa profissional do TEP, composta pelo autor do texto e pelo encenador, um ator e um músico, e, ainda, a cenógrafa do espetáculo original, e outra equipa amadora, do TG, essencialmente composta por membros do grupo e pessoas que participaram nas oficinas realizadas no âmbito da residência artística – escrita para teatro, trabalho de ator, cenografia e música.”
Assim, durante cerca de 2 meses, “os do Giz e os do TEP” partilharam muito do que têm e são, enquanto gente do teatro e “enquanto gente do norte e gente das ilhas que vivem este tempo, num mundo globalizado que nos afasta cada vez mais uns dos outros e de nós mesmos, apesar de todos os dias os omnipresentes ecrãs nos dizerem o contrário”.
De acordo com a organização, durante este tempo, os de lá e os de cá recriaram e adaptaram o texto e a encenação, e fizeram TODA A GENTE – FAIAL, com uma equipa heterogénea e um elenco repartido entre atores profissionais do TEP e atores amadores do Teatro de Giz.”
A co-produção desta peça, originalmente concebida pelo Teatro Experimental do Porto e que trata da realidade dos novos “emigrantes económicos”, assumindo-se como “uma espécie de moralidade sobre a felicidade”, materializa o objetivo do Teatro de Giz de proporcionar ao grupo e à comunidade do Faial uma experiência de trabalho com uma companhia de teatro profissional, bem como o contacto com uma linguagem teatral urbana, com propostas estéticas e dramatúrgicas diferentes, que estabelecem o desafio de um processo criativo sempre mais exigente. MJS

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO