Unisénior estreia nova peça amanhã

0
15

A Universidade Sénior do Faial estreia nova peça amanhã, dia 22 de fevereiro. A comédia “Teatro na Unisénior”, composta por quatro sketches, sobe ao palco no Teatro Faialense, a partir das 21h30. Em cena estarão todos os alunos da Oficina de Teatro da Unisénior, orientada por Raquel Vieira, que escreveu, dirige e encena este trabalho. Em vésperas de estreia Tribuna das Ilhas esteve à conversa com a encenadora, que promete diversão a todos quantos queiram assistir à peça. Diversão e uma lição: é que, como salienta Raquel, esta peça serve também para provar “que os velhos não são trapos”.

As andanças dos palcos já não são novidades para Raquel Vieira nem para os alunos da Oficina de Teatro da Universidade Sénior do Faial, que de há cinco anos a esta parte estão habituados a mostrar ao público faialense o resultado do trabalho desenvolvido nas aulas. “Teatro na Unisénior” é o seu quinto trabalho, e estreia no palco do Teatro Faialense amanhã.

Com direção e encenação de Raquel Vieira, este trabalho dá também grande destaque à música, contando com direção musical de Norberto Oliveira. Ao piano estará Hugo Duarte e ao palco sobem todos os intervenientes da Oficina de Teatro da Unisénior: Amadeu Ribeiro, Cecília Ávila, Ermelinda Simões, Eugénia Fontes, Fátima Serpa, Goretti Picanço, Graciete Amaro, Humberto Pacheco, Manuel Medeiros, Manuel da Rosa, Teresa Almeida, Raimunda Rosário, Raquel Vieira e Rui Rosário.

Os quatro sketches foram escritos por Raquel, com a colaboração do grupo. Ao Tribuna das Ilhas, a encenadora explica que se inspirou num espetáculo de Revista à Portuguesa que viu no Porto, da responsabilidade do “Grupo Norte”, um conjunto de cidadãos seniores. Influenciada pelo que viu escreveu o texto que agora será apresentado ao público e que, garante, promete boas gargalhadas: “tristezas bastam as da vida, por isso quem se quiser rir um bocadinho, aconselho a ir. É um espetáculo totalmente diferente do que temos vindo a fazer”, diz.

Para Raquel, trabalhar com um grupo de seniores é uma tarefa com muitas especificidades. Se, por um lado, apresentam mais dificuldades em tarefas como decorar os textos, por outro, entregam-se com empenho e entusiasmo singulares ao projeto entre mãos.

Para os alunos da Oficina de Teatro da Unisénior, a principal dificuldade é o facto de não disporem de um local fixo para ensaiar: “este ano foi difícil porque não temos espaço nosso e andamos um pouco empurrados de um lado para o outro. Enquanto não tivermos um espaço para a Unisénior será muito difícil. Isso era muito importante. Quem sabe, um dia?”, diz Raquel.

Leia a reportagem completa na edição impressa do Tribuna das Ilhas de 21.02.2014 ou subscreva a assinatura digital do seu semanário

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO