Utente de lar da Misericórdia de Aveiro infetada, outros idosos em isolamento

0
7
DR
Uma utente do lar da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro está infetada com covid-19, o que levou a instituição a ativar a segunda fase do plano de contingência, colocando outros idosos em isolamento, disse hoje o provedor.“Trata-se de uma senhora com cerca de 90 anos que deu positivo no teste e já foi transportada para o Hospital de Aveiro”, disse à Lusa o provedor da Misericórdia de Aveiro, Lacerda Pais.

Lacerda Pais referiu ainda que há outros utentes do lar, situado no Complexo Social da Moita, que estão em isolamento, não precisando o número, adiantando que todos os dados são reportados à Direção-Geral da Saúde.

“Neste momento, já estamos na segunda fase do plano de contingência, o que quer dizer que estamos a apertar as medidas de precaução e de isolamento”, adiantou o mesmo responsável.

O provedor da Misericórdia aveirense deu ainda conta das dificuldades que estão a sentir com a falta de funcionários.

“Estamos com certa dificuldade com funcionários, mas as coisas têm-se aguentado, porque o pessoal tem correspondido plenamente, aquele que está capaz. Num universo de 140 trabalhadores que devíamos ter ao serviço, faltam-nos 35, que estão a dar assistência aos filhos, ou estão de baixa ou de quarentena”, adiantou.

Outro dos problemas tem a ver com a falta de material de proteção individual, nomeadamente máscaras e desinfetantes.

“Não conseguimos adquirir estes materiais em lado nenhum. Já tivemos um contacto com um fabricante que está a fabricar, mas estão todas destinadas ao Estado”, explicou o provedor.

Como forma de tentar conter a propagação do novo coronavírus, o lar, que tem 118 utentes, suspendeu as visitas aos residentes, bem como a atividade do centro de dia, e vários funcionários têm optado por pernoitar nas instalações para evitar contactos com o exterior.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 341 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 15.100 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com a Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 5.476 mortos em 59.138 casos. Segundo as autoridades italianas, 7.024 dos infetados já estão curados.

Em Portugal, há 23 mortes e 2.060 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Dos infetados, 201 estão internados, 47 dos quais em unidades de cuidados intensivos.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou na terça-feira o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO