Vagas em lares residenciais mais do que triplicaram em três anos, destaca Vasco Cordeiro

0
9
DR

O número de vagas em lares residenciais nos Açores para cidadãos com deficiência aumentou, entre 2013 e 2019, de cerca de 40 para quase 140, um crescimento que o Presidente do Governo enquadrou na prioridade assumida pelo Executivo de também dar resposta às preocupações das respetivas famílias.

O crescimento das vagas disponibilizadas neste tipo valência na Região permitiu dar uma resposta concreta às preocupações das famílias em relação ao futuro dos seus familiares que, sozinhos, não têm condições para ter a sua autonomia, afirmou Vasco Cordeiro, na inauguração das obras de requalificação do Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) da Santa Casa da Misericórdia da Calheta, em São Jorge.

“A política também é isso. A política é também criar respostas para estas situações. E é isso que tem sido feito por toda a Região e que está a ser concretizado com os investimentos que estão a decorrer”, salientou o Presidente do Governo, no terceiro dia da visita estatutária a São Jorge.

Segundo adiantou, desde 2013, já foram investidos cerca de 13,6 milhões de euros na remodelação, adaptação e construção de respostas sociais na área do apoio aos cidadãos com deficiência em São Jorge, Pico, Graciosa, São Miguel e Terceira.

“Estamos a falar de investimentos que permitiram fazer a diferença para melhor na vida desses Açorianos”, sublinhou Vasco Cordeiro, ao apontar também o exemplo do crescimento, entre 2013 e o final de 2019, do número de vagas em Centros de Atividades de Ocupacionais de cerca de 515 para cerca de 600.

“Isto faz a diferença na vida daqueles que passaram a ter este tipo de apoio e faz a diferença na vida das suas famílias”, referiu o Presidente do Governo, para quem “não deixar ninguém para trás é também criar as condições para que esses nossos concidadãos possam usufruir da sua cidadania o mais possível”.

Nesse sentido, Vasco Cordeiro anunciou que, depois do projeto-piloto desenvolvido em 2019, o Governo vai implementar este ano o programa de turismo inclusivo ‘Açores para Todos’, que permite aos cidadãos portadores de deficiência conhecer outras ilhas da Região.

“Esta foi uma experiência que fizemos em 2019. Estamos muito satisfeitos com os seus resultados e queremos reforçar e aumentar o número de ilhas e o número de participantes em 2020”, referiu.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou, por outro lado, que é o dinheiro dos impostos pagos pelos Açorianos que permite “alcançar estes resultados” em matéria de apoio social, o que deve constituir motivo de orgulho da Região.

“De Santa Maria ao Corvo, todos os Açorianos ajudaram a que os jovens do Centro de Atividades Ocupacionais da Santa Casa da Misericórdia da Calheta tivessem, hoje, melhores condições de apoio. E isso deve ser motivo de orgulho como Região”, concluiu o Presidente do Governo.

As obras de requalificação deste CAO frequentado por cerca de 25 utentes, inauguradas exatamente um ano após a cerimónia de assinatura do contrato da empreitada, representaram um investimento de cerca de 250 mil euros e permitiram recuperar um imóvel de importância arquitetónica no centro da Vila da Calheta.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO