Viagens aéreas para o Pico levam PSD/Açores a questionar Governo

0
16

O PSD/Açores enviou um requerimento à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores(ALRAA) para averiguar a possibilidade de serem modificados parâmetros que regem as ligações entre a ilha do Pico e Lisboa.

O aeroporto picaroto desde 2005 que possui a função de gateway, ou seja de ligação direta ao exterior da região, algo que tende a não se verificar atualmente, segundo afirmam os sociais democratas. 

Desde a entrada em vigor das novas Obrigações de Serviço Público, a 29 de março último, a ilha montanha tem “uma rota com duas ligações semanais, cujos horários definidos são totalmente inconvenientes para os picoenses”, o que o leva a questionar “se podem ser corrigidos para melhor servir a ilha da Pico”, avançou Cláudio Lopes.

A rota agora dominada pela SATA teve uma entrada no novo período de acessibilidades aéreas considerada pelo deputado picaroto de desastrosa, exigindo por isso “saber com que SATA podemos contar daqui para a frente” e se esse serviço vai permitir ao aeroporto ser uma gateway “real” ou apenas “virtual”.

“Ao longo de todo este tempo a SATA, empresa regional e tutelada pelo Governo Regional, nunca esteve disponível para aumentar o número de ligações semanais daquela rota, apesar da procura evidente e das manifestações dos picoenses”, sublinhou Cláudio Lopes.

Mesmo com a proximidade do aeroporto da Horta e do Pico o deputado do PSD/Açores considera que estes “oferecem muitas vezes condições de operacionalidade alternativas, por razões climatéricas, no entanto a sua complementaridade não tem passado de muitas declarações políticas. E isso tem causado prejuízos económicos para a SATA e enormes incómodos aos passageiros do Pico”, situação que impõe a questão “quando é que o aeroporto do Pico passa a ser, efetivamente, alternativo do aeroporto da Horta, e vice-versa?”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO