Vítor Fraga acusa autarquia de “não ser capaz de cumprir com os compromissos que assumiu”

0
23
DR

O vereador eleito pelo PS/Açores à Câmara Municipal de Ponta Delgada, Vítor Fraga, manifestou, esta quarta-feira, o seu desagrado pela autarquia “não ser capaz de cumprir com os compromissos que assumiu por unanimidade no seio de uma reunião camarária há já quase um ano e meio”.

Em causa está a não concretização de uma medida, aprovada por unanimidade em reunião de Câmara a 21 de fevereiro de 2018, relativa à competitividade territorial do concelho de Ponta Delgada.

Apresentada pelo PS/Açores a 8 de fevereiro de 2018, esta proposta visava criar o balcão via verde de investimento e definir e implementar os projetos de interesse municipal.

Segundo Vítor Fraga, a passividade do executivo camarário tornou-se ainda mais evidente nos últimos dias com a instabilidade gerada pelo facto de ser público “que o senhor presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada estava mais interessado em integrar a lista à Assembleia da República do que trabalhar em prol do município de Ponta Delgada”. De acordo com o vereador socialista, “a instabilidade provocada pela vontade nunca desmentida de José Manuel Bolieiro trocar Ponta Delgada pela Assembleia da República foi sentida nos próprios serviços municipais, tendo, inclusivamente motivado ameaças de demissão de presidentes de juntas de freguesia social-democratas. Ora, todo este processo só reitera o que sempre dissemos: só se pode ser Presidente de uma cidade e de um concelho como Ponta Delgada com sentido de missão e com uma visão muito clara do que queremos para o futuro. Não pode ser por obrigação, mas sim por missão e o que resulta claro de toda essa instabilidade provocada pelo Presidente da Câmara Municipal é que José Manuel Bolieiro já não tem Ponta Delgada no centro das suas prioridades”.

À saída da reunião do executivo camarário que se realizou esta quarta-feira, Vítor Fraga criticou ainda o que diz ser o “dilema em que o presidente da autarquia se colocou”, sendo hoje difícil perceber “se é o PSD que está refém do presidente da Câmara, ou se, pelo contrário, é o senhor presidente da autarquia refém do PSD”, frisando ainda ser certo que “nem um nem outro têm propostas para resolver as grandes questões com que se confronta o presente e o futuro de Ponta Delgada, e nem para um ou para outro, Ponta Delgada parece estar no centro das preocupações”.

Durante a reunião de Câmara que ocorreu esta quarta-feira, o vereador Vítor Fraga aproveitou ainda o momento para felicitar o autarca do maior município dos Açores, pela sua nomeação para vice-presidente nacional do PSD, desejando que seja “mais um açoriano a defender a Região no plano nacional”, não sem estranhar a opção de José Manuel Bolieiro:

“Cabe a cada um, escolher as suas companhias, e ter alguém por companhia que, ainda recentemente, se referiu negativamente aos Açores, dizendo, a propósito das eleições europeias, que os Açores valiam 12  mil votos que não são fortuna’, não nos parece que seja uma grande companhia para alguém que exerce as funções de presidente da maior autarquia dos Açores”, concluiu Vítor Fraga.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO