Vítor Frazão, presidente do Clube de Esgrima do Faial

0
59
blank
Vítor Frazão

“Seria importante que a Horta reunisse condições para se tornar o melhor palco para a realização de provas regionais e até nacionais”

Foi através de Vítor Frazão que a esgrima deu os primeiros passos na ilha do Faial, muito por culpa da sua filha que sempre desejou experimentar
a modalidade e fez com que o pai que já havia experimentado em jovem através de familiares ligados ao Exército, uma vez que a modalidade sempre foi muito associada a escolas de formação de carácter “militar”. No verão de 2004 surgiu a oportunidade de realizar-se uma ação experimental cá na ilha, que reuniu vários curiosos, e que viria a ser o rastilho para a implementação em definitivo
da modalidade no Faial. Esta desenvolveu-se inicialmente através do Sporting Clube da Horta e mais recentemente através do Clube de Esgrima do Faial que fora fundado a 23 de agosto de 2016, de forma a poder desenvolvê-la de uma forma mais exclusiva e independente.

O Tribuna das Ilhas esteve conversa com Vítor Frazão sobre a esgrima, tentando perceber mais um pouco sobre esta modalidade, e as necessidades do CEF para o desenvolvimento e crescimento da mesma no Faial.

Tribuna das Ilhas – O que o motivou a ser o grande impulsionador deste desporto na ilha do Faial?
Vítor Frazão – Antes de mais obrigado pela oportunidade que nos é dada na divulgação da esgrima.
Em boa verdade o facto de ter impulsionado este desporto, na Ilha está relacionado com o facto da minha filha ter desejado experimentar a modalidade. Como já tinha experimentado a esgrima ainda jovem através de familiares ligados ao Exército, esta experiência ficou sempre na minha memória. Por um acaso tive conhecimento que residia, na altura, na ilha do Pico, um ex-praticante da modalidade com bastante experiência, que motivou o meu interesse, tendo então combinado a realização de sessões durante o verão de 2004, sessões estas que reuniram vários curiosos e que tiveram muito sucesso. Foi então, que se colocou a hipótese de criar uma Sala no SCH. Nessa altura a minha filha esteve sempre muito entusiasmada e participou em várias provas nacionais, alcançando o pódio por inúmeras vezes, motivando-me também a frequentar várias ações promovidas e ministradas por mestres da Federação Portuguesa de Esgrima, passando a ser treinador da modalidade.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura