A taxa turística, a participação do sector e os serviços públicos prestados a quem nos visita

0
23
blank

Associação de Turismo Sustentável do Faial – ATSF

Contra as opiniões e sugestões dos representantes das empresas de turismo, a taxa turística regional foi aprovada no Parlamento Açoriano. Não houve propriamente um debate sobre o assunto, mas várias entidades, incluindo a ATSF, exprimiram a sua opinião, a pedido da Comissão de Economia da ALRAA.

Embora haja profissionais e organizações favoráveis à aplicação de uma taxa turística, o sector do Turismo nos Açores opôs-se frontalmente a esta iniciativa legislativa em concreto, apresentada pelo PAN. No entanto, para surpresa de todos, foi aprovada a taxa. O deputado que a tinha proposto, na afirmação da sua conquista, teve o descaramento de insistir que a mesma não aumentava os custos para as empresas, cilindrando o que disseram os profissionais e a própria verdade dos factos. Que fique claro: o processo de cobrança da taxa turística, tal como foi apresentado e aprovado, gerará sem qualquer dúvida custos, procedimentos e burocracia adicional, caindo estes sobre os alojamentos.
E a indignação aumenta quando, a par da aplicação da taxa turística – com a justificação de compensar o Estado pelos custos adicionais com o turismo – se reduzem os serviços públicos prestados aos visitantes que a pagam.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura