X Encontro de Violas de Arame nos Açores

0
47
DR
DR

O “X Encontro de Violas de Arame” decorrerá a 1 de Julho num formato especial “On-Line” e conta com organização Açoriana pela segunda vez.

O “Encontro de Violas de Arame” surge em Castro Verde, em 2009, numa iniciativa do músico Pedro Mestre, tendo contado com a presença da Viola Campaniça, Viola Braguesa, Viola de Arame Madeirense e da Viola da Terra.

Em 2010 o Encontro decorre pela primeira vez nos Açores, na Ilha de São Miguel, na sua segunda edição, numa produção do Músico Rafael Carvalho em parceria com o Conservatório Regional de Ponta Delgada e com entidades públicas e privadas do Concelho da Povoação.

Para este ano de 2021 a Associação de Juventude Viola da Terra promove a sua realização, com um evento em formato “On-line” e com a presença de 6 violas de Arame: dos Açores participam Bruno Bettencourt com a Viola de 15 Cordas e Rafael Carvalho com a Viola de 12 Cordas. De Portugal Continental participam José Barros com a Viola Braguesa e Pedro Mestre com a Viola Campaniça. Do Brasil participa Aorélio Domingues com a Viola Caiçara e Chico Lobo com a Viola Caipira.

O “X Encontro de Violas de Arame” decorrerá na página de facebook e de YouTube da Associação de Juventude Viola da Terra, a 1 de Julho, pelas 20:30, hora dos Açores. 1 de Julho foi a data escolhida por coincidir com o aniversário de um ano do primeiro evento “On-line” produzido pela Associação, em 2020, o “X Festival Violas do Atlântico”.

Este é o Encontro de Violas de Arame mais antigo e com mais edições do nosso País, sendo um grande impulsionador, há mais de uma década, de inúmeras das dinâmicas que hoje existem em torno da Viola de Arame. O evento já foi organizado no Brasil por 3 vezes, denominado de “Mostra Internacional de Violas de Arame” cuja 3.ª edição decorreu em Março em formato “On-line”, e teve a última edição Portuguesa em 2019 na Madeira.

Ter a 10ª edição do evento produzida por uma entidade dos Açores é motivo de grande responsabilidade e honra. Quer pela importância, história e credibilidade do evento e dos seus intervenientes de todas as edições, bem como pela importante valorização da nossa Viola da Terra, participando pela primeira vez com os dois modelos de Violas dos Açores: de 12 e de 15 cordas.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO