Açores associam-se às comemorações das Jornadas Europeias do Património 2019

0
11
DR

O Governo dos Açores, através da Direção Regional da Cultura, na tutela da Secretaria Regional da Educação e Cultura, associa-se às comemorações das Jornadas Europeias do Património, este ano subordinadas ao tema “Artes, Património, Lazer”, com a realização de um programa de atividades que decorre de 26 a 29 de setembro.

No Museu da Graciosa, a 27 de setembro, tendo como destinatários alunos da Escola Básica e Secundária, terão lugar, a partir das 10H00, visitas de estudo com projeção de vídeo sobre observação de cetáceos nos Açores, seguidas de uma visita pedagógica à exposição de longa duração do Barracão dos Botes Baleeiros de Santa Cruz da Graciosa.

Para assinalar as Jornadas Europeias do Património, o Museu Francisco de Lacerda, em S. Jorge, realiza, de 26 a 28 de setembro, um conjunto de atividades que visam aliar o património às artes, partindo da exposição temporária “Cores da Terra: A Tinturaria nas Ilhas”.

Naquele período terão lugar oficinas de tinturaria natural para jovens a partir dos 14 anos, e, no dia 28, pelas 15h00, terá lugar uma oficina de pintura em seda para adultos, durante a qual os participantes vão conhecer técnicas de pintura e estampagem em seda, pintando depois o seu próprio lenço.

O Museu Carlos Machado, em Ponta Delgada, também se associa a estas comemorações, promovendo a realização de duas iniciativas.

A 27 de setembro, pelas 19h00, terá lugar uma oficina, a partir da exposição “Espírito Santo Migrante”, que aborda esta festa desde a sua origem até aos dias de hoje, pelo arquipélago e pela diáspora.

Nesta atividade, um grupo de foliões da Bretanha trabalhará com professores e alunos do Conservatório Regional de Ponta Delgada em torno desta tradição.

O resultado desta oficina será apresentado ao público, com entrada gratuita, na Igreja do Colégio, pelas 19h30, sendo precedido de uma visita guiada à exposição pela sua curadora, Catarina Faria.

Para além desta iniciativa, a 28 de setembro, das 10h00 às 13h00, o Museu Carlos Machado, em parceria com a ASISM – Associação de Surdos da Ilha de São Miguel, promove a visita-oficina “Mestres do Azulejo”, que será acompanhada por um intérprete de LGP (Língua Gestual Portuguesa), e onde se darão a conhecer a história e as técnicas dos azulejos da Igreja do Colégio.

Seguir-se-á um ateliê, onde os participantes serão convidados a criar o seu painel de azulejo avulso.

Esta é uma atividade aberta a adultos e crianças acompanhadas por adultos, a partir dos 8 anos de idade, sendo necessária inscrição, que deve ser efetuada através do telefone 296 202 930.

Por seu lado, o Museu do Pico assinala esta comemoração com dois eventos, ambos de entrada gratuita.

O primeiro decorre sexta-feira, 27 de setembro, pelas 21h00, na Galeria de Exposições Temporárias do Museu da Indústria Baleeira, em São Roque do Pico, onde será revisitada parte das coleções de arte do acervo do Museu do Pico.

Nesta mostra serão apresentados trabalhos de artistas como Júlio Pomar, David de Almeida, Rogério Silva, Luís França, Carlos Centeno, Rui Ribeiro, Raúl Gonçalves, KarlHeinz Mischke, entre outros.

No dia seguinte, pelas 21h00, no Auditório do Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, será exibido o documentário “Vinha do Pico – Paisagem de Oportunidades”, de Paulo Henrique Silva.

Este trabalho, apresentado aquando das comemorações do 15.º aniversário da classificação da Paisagem Protegida da Cultura da Vinha da Ilha do Pico e da sua designação como Património Mundial pela UNESCO, faz uma viagem pelo processo de candidatura e classificação da vinha do Pico a património mundial.

Por seu turno, o Museu das Flores assinala as Jornadas Europeias do Património no dia 27 de setembro, às 11h00 às 15h00 e das 20h30 às 21h30, proporcionando visitas guiadas ao retábulo da capela-mor da Igreja do Convento de São Boaventura, recentemente objeto de restauro.

Esta intervenção consistiu numa limpeza e fixação da camada policromada, que apresentava evidentes sinais de destacamento, enquanto a reposição do ouro e policromia decorrerá em futura intervenção.

Do retábulo, sabe-se que terá sido montado depois de 1727, pois nessa data foi doada uma verba para a conclusão da capela-mor.

Foi esculpido em madeira de cedro dourada e policromada e filia-se nos retábulos do período barroco com profusa decoração de motivos eucarísticos (parras e uvas) e a cantos estilizados.

Ainda no âmbito das Jornadas Europeias do Património 2019, terão lugar, entre 27 e 29 de setembro, promovidas pelo Museu da Horta, visitas orientadas à Igreja de Nossa Senhora do Carmo.

Trata-se de um imóvel do século XVII, que constituiu o primeiro templo carmelita a ser edificado, a nível nacional, fora de Portugal continental, tendo reaberto ao culto no final do ano passado, após longas obras de recuperação.

Esta iniciativa do Museu da Horta tem como público-alvo as escolas e pretende dar a conhecer a história do templo, assim como o painel de azulejos do século XVIII que acolhe.

Por sua vez, o Museu de Angra do Heroísmo associa-se às Jornadas Europeias do Património 2019 promovendo a inauguração conjunta, a 28 de setembro, pelas 21h00, das exposições “Filhos da Luz – Fotografia de Timothy Lima” e “Island Thinking – Re-act Contemporary 2019 Edition”, numa noite de festa que assinala a renovação da oferta expositiva apresentada nas salas do Capítulo e Dacosta e que contará com animação musical de João da Ilha.

A exposição “Island Thinking” apresenta obras de três artistas de renome internacional, nomeadamente Jakob Kudsk Steensen (Dinamarca/EUA), Paul Rosero Contreras (Equador) e Regina de Miguel (Espanha/Alemanha) e conta com a curadoria de Irene Campolmi e Àngels Miralda.

A apresentação deste projeto reflete o resultado do trabalho de pesquisa desenvolvido no contexto da edição de 2019 da residência e laboratório de arte contemporânea ‘Re_act Contemporary’, projeto cofundado por Paulo Arraiano e Paulo Ávila Sousa, que está a decorrer na ilha Terceira até 27 de setembro.

“Filhos da Luz” estará patente na Sala do Capítulo até 26 de janeiro, enquanto “Island Thinking” ocupará a Sala Dacosta até 19 de janeiro.

As Jornadas Europeias do Património são uma iniciativa anual do Conselho da Europa e da União Europeia que envolve cerca de 50 países e que tem por objetivo a sensibilização dos cidadãos para a importância da salvaguarda do Património.

Em Portugal, a coordenação das jornadas cabe à Direção-Geral do Património Cultural.

A Direção Regional da Cultura informa que estes e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no endereço www.culturacores.gov.pt.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO