Açores continuam a ser a única região do país com descida do desemprego, revela IEFP

0
27

A Diretora Regional do Emprego e Qualificação Profissional destacou hoje, em São Miguel, os dados divulgados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) relativos a julho, que colocam os Açores como única região do país a registar uma descida do desemprego, face ao período homólogo.

“Perante um ambiente económico particularmente desafiante e incerto, os Açores conseguem, mais uma vez, verificar uma diminuição do desemprego, depois de o mesmo ter acontecido nos meses de abril, maio e junho, nos quais já éramos a única região com descida do desemprego entre setes regiões do país”, destacou Paula Andrade.

“Este facto coloca os Açores como uma referência no contexto nacional”, acrescentou.

De acordo com os dados divulgados recentemente pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional, os Açores registaram uma redução do desemprego de (-) 1,4% em julho de 2020, relativamente ao mesmo mês do ano anterior, “o que representa menos 101 desempregados no espaço de um ano”.

“No final de julho havia, na Região, 6.957 desempregados à procura de primeiro e novo emprego, número que comprova a estabilidade do emprego que se verifica nos Açores, na sequência das medidas entretanto criadas e implementadas pelo Governo dos Açores no âmbito da COVID-19”, frisou a Diretora Regional.

Paula Andrade falava à margem de uma visita à Garcez e Santos – Fábrica de Iogurtes Yoçor, na Ribeira Grande, entidade que, após ter beneficiado do ‘layoff’, aderiu ao Incentivo Regional à Normalização da Atividade Empresarial (IRNAE), entrando numa nova fase de estabilização e recuperação da atividade.

“O Governo dos Açores, não só criou e concretizou um conjunto alargado de medidas extraordinárias, em alguns casos inovadoras no contexto nacional, como tem desenvolvido um enorme esforço para complementar e reforçar na Região o alcance das medidas nacionais tendo em vista apoiar a economia, proteger o emprego e assegurar o rendimento dos trabalhadores”, afirmou a Diretora Regional do Emprego e Qualificação Profissional.

De acordo ainda com o IEFP, o desemprego de longa duração assistiu a uma variação homóloga de -24,2%.

Relativamente ao rácio de colocação, isto é, postos de trabalho colocados sobre postos de trabalho solicitados, independentemente da data de entrada dos pedidos, este indicador atingiu 73,5 no final do mês de julho.

Para Paula Andrade, a estabilidade que se verifica atualmente no mercado de emprego na Região “é reflexo das medidas implementadas pelo Governo Regional, estratégia que tem dado resultados, comprovados quer pelos dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional, quer pelos indicadores do Instituto Nacional de Estatística (INE)”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO