Alonso Miguel visita novo acesso ao areal da Praia de Porto Pim

0
60
blank

Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas.

O Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, Alonso Miguel, visitou o novo acesso à Praia de Porto Pim, criado para a execução das intervenções de limpeza e manutenção do areal da praia, acompanhado pelo Presidente da Câmara Municipal da Horta, Carlos Ferreira.
O Secretário Regional realçou que “a Praia de Porto Pim tem sido afetada por um arrojamento massivo de algas invasoras, que tem potencial para provocar impactos significativos em termos ambientais, de saúde pública, de bem-estar e fruição do espaço, bem como do ponto de vista económico, nomeadamente ao nível do turismo”.
“Esta nova realidade obriga a uma limpeza regular e frequente dos areais e para isso é preciso garantir o acesso adequado de maquinaria para o efeito”, referiu o governante, que considera
ainda este acesso “importante como alternativa para operações de socorro e apoio a banhistas e para o acesso de pessoas com mobilidade reduzida”.
Alonso Miguel referiu que “foi a criação deste acesso que permitiu que esta praia tão importante para os Faialenses e para os Açorianos se encontre, neste momento, em condições de limpeza e segurança adequadas e que possa ter voltado a estar cheia de banhistas, como se verificou ainda durante o passado fim de semana”.
O Secretário Regional afirmou ainda não compreender “que haja quem considere esta intervenção como um atentado ambiental, como aconteceu por parte do Observatório do Mar dos Açores e de alguns partidos políticos, como o PS ou o BE”, explicando que “se trata de uma rampa construída apenas com materiais não consolidados e sem impermeabilização do solo, que podem ser removidos a qualquer altura, e que foi feita numa zona marginal da duna, que, por sinal, apresentava elevado estado de degradação e que agora terá oportunidade de ser melhorada do ponto de vista ecológico, com a plantação de exemplares de espécies endémicas, bem como pela colocação de paliçadas para suporte da margem da duna”.
O Secretário Regional clarificou ainda que, “ao contrário do que tem sido difundido, esta zona não está inserida na área de intervenção do projeto LIFE VIDALIA, não tendo sido sequer afetadas quaisquer espécies protegidas”, acrescentando que “todas as entidades com competência na área de intervenção foram consultados e emitiram pareceres favoráveis”.

Alonso Miguel concluiu afirmando que “é preciso que se comece a resistir ao oportunismo político e a ponderar e pesar a utilização de expressões como atentado ambiental, especialmente por parte de quem tem responsabilidades políticas acrescidas, sob pena de se banalizar e vulgarizar terminologia muito importante em termos de conservação da natureza e de preservação ambiental”.