Ana Cunha anuncia reabertura do Porto das Lajes das Flores ao tráfego local

0
203
DR

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas anunciou hoje, nas Flores, que o Porto Comercial da Lajes acaba de ser reaberto à navegação para o tráfego local.

A partir de agora, este porto pode ser utilizado por navios até 60 metros de comprimento e calado de quatro metros, o que permite assegurar o normal abastecimento de bens à ilha das Flores, estando também já assegurado o abastecimento de combustível através do tráfego local.

Em declarações aos jornalistas após visitar zonas afetadas pelo furacão Lorenzo, que fustigou os Açores na passada semana, Ana Cunha revelou que o porto está operacional, “com alguma limitação, neste momento, quanto ao calado e ao comprimento dos navios, mas assegura o que é essencial, que é o abastecimento à ilha”.

A Secretária Regional sublinhou que, após os danos ocorridos aquando da passagem do furacão, “a principal preocupação era que o porto ficasse operacional ou averiguar se poderia ficar operacional”, frisando o esforço realizado pela Portos dos Açores, Autoridade Marítima, Forças Armadas e outras entidades nesta missão.

“Houve, de facto, um trabalho extraordinário e em tempo recorde, de uma semana, para tornar esta infraestrutura operacional e podermos estar aqui, com tranquilidade, a afirmar que, a partir de agora, a infraestrutura está aberta ao tráfego local”, disse.

Ana Cunha adiantou que, após um primeiro abastecimento de bens de primeira necessidade com a colaboração da Marinha, em que não foi preciso usar o cais, tendo a carga sido transportada através de botes até à ilha, a partir de agora os abastecimentos já serão feitos pelo tráfego local, com recurso à contratação de navios que operam na Região.

Em relação ao abastecimento de combustível, Ana Cunha referiu que está garantido o abastecimento de 40 mil litros a partir do Corvo, na sequência da deslocação para esta ilha de uma plataforma que trouxe o combustível da Terceira até ao Corvo e irá, de seguida, transportá-lo até às Flores, em duas cisternas.

“Seguidamente, serão transportados, pelo menos, 140 mil litros de combustível, o que permitirá, atendendo às reservas existentes até ao final deste mês de outubro, a criação de reservas na ilha para mais 15 dias”, adiantou Ana Cunha.

As cisternas serão depois transportadas pelos navios do tráfego local, vazias, e continuarão a seguir para a ilha, atestadas, abastecendo de acordo com as necessidades.

“Se será de semana em semana, de 15 em 15 dias, logo se verá, de acordo com aquilo que forem os consumos e as reservas existentes na ilha”, disse a Secretária Regional.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO