Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas com novas atividades em agosto

0
7
DR

A Direção Regional da Cultura, através do ARQUIPÉLAGO – Centro de Artes Contemporâneas, promove, em agosto, uma programação com especial enfoque para o período de férias dos mais novos.

O Serviço Educativo desenvolveu, neste sentido, três atividades que decorrerão, por marcação, de agosto a outubro de 2019, nomeadamente, a visita-oficina “Estação dos Fenómenos Aquáticos”, dedicada ao público dos 2 aos 6 anos, onde se vão explorar questões relacionadas com o mar e com os animais que nele habitam.

Já na visita-oficina “Estação intercomunicativa”, destinada a crianças dos 6 aos 12, os participantes são desafiados a refletir e a criar sobre as formas de comunicação, em terra ou no mar, através de gestos ou objetos criados por cada um.

Também na visita-oficina “Estação Meteorológica – Os fenómenos que se movem”, orientada para o público jovem e adulto, os participantes vão poder observar e procurar na exposição “Estação Meteorológica” quais os fenómenos em que as artistas se inspiraram, tendo depois a oportunidade de registar, através da fotografia, elementos meteorológicos visíveis no exterior do ARQUIPÉLAGO.

Para assinalar o último domingo do mês de agosto, o serviço educativo promove, no dia 25, a “Aventura no Pátio”, uma tarde destinada a famílias, com atividades ao ar livre, como pintura, escultura e jogos.

As inscrições para estas e outras atividades do Serviço Educativo devem ser feitas através do formulário disponível no site do Arquipélago, do email acacinfo@azores.gov.pt ou do telefone 296 470 130.

Para além da programação dedicada aos mais novos, durante o mês de agosto pode ainda ser visitada a recém-inaugurada exposição “Estação Meteorológica”, com curadoria de Sérgio Mah, que apresenta trabalhos em fotografia e vídeo da autoria de Sandra Rocha, artista nascida em Angra do Heroísmo em 1974, e de Manuela Marques, nascida em Tondela em 1959, ambas a residir e a trabalhar atualmente em Paris.

No espaço das Residências Artísticas está patente a instalação “Fogo Lácteo” de Mariana Caló e Francisco Queimadela, projeto apresentado no 3.º ciclo do “Geometria Sónica”, e “Landmark”, de Joaquim Morais Oliveira, uma peça de arquitetura escultórica que foi concebida através de materiais endógenos, nomeadamente a criptoméria, e que aborda questões ligadas à sustentabilidade, energias renováveis, particularmente a geotermia.

A Direção Regional da Cultura informa que este e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no seguinte endereço:www.culturacores.azores.gov.pt.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO