Artur Lima exige “consensos genuínos” face ao Orçamento de 2014

0
15

O CDS-PP/Açores, Artur Lima, desafiou, o Governo Regional a procurar consensos de forma “genuína” em relação ao orçamento para 2014 durante a sua intervenção no primeiro dia do debate sobre o Plano e Orçamento para 2014.

“Em tempo de profunda crise, não se pode governar da mesma forma, nem se deve exercer o poder da oposição da mesma maneira. A conjuntura exige um esforço acrescido de solidariedade para com as famílias e as empresas em dificuldades: um esforço que deve sobrepor-se ao espírito de fação e à crispação por vezes inútil que, algumas vezes, dominam a agenda política”, afirmou Artur Lima.

Artur Lima considera que “os Açores vivem hoje uma crise quase sem precedentes”, referindo, entre outros indicadores, a maior taxa de desemprego da autonomia, os 18.600 beneficiários do Rendimento Social de Inserção no arquipélago, os 23% de açorianos entre os 15 e os 24 anos que “não estudam nem trabalham” e o menor poder de compra do país.

De farpas voltadas para Vasco Cordeiro, Lima  acrescentou que ao “discurso do diálogo” devem corresponder “ações reais”, porque “não vale a pela aprovar soluções ou propostas de outros partidos, apenas para constar no discurso político de amanhã”.

Após esta intervenção, Vasco Cordeiro pediu a palavra para responder: “O Governo Regional aceita esse repto e está disponível para, nesta postura construtiva de que o senhor deputado deu provas na sua intervenção, avançarmos a bem dos Açores”, afirmou.

O Presidente do Governo dos Açores lamentou, entretanto, que o maior partido da oposição instrumentalize as dificuldades que se vivem nos Açores apenas na tentativa de criar dificuldades à atuação do Executivo regional.

“Temos um partido que se dá ao luxo de instrumentalizar a crise para tentar criar dificuldades ao Governo dos Açores. É essa postura que não dá ao PSD/Açores qualquer desculpa perante os Açorianos”, afirmou Vasco Cordeiro.

 

“Esse partido chega a este debate derrotado perante os Açorianos e não é pelo facto de apresentar as propostas de alteração que apresenta que sua derrota é branqueada. Pelo contrário, é agravada”, afirmou o Presidente do Governo, lembrando que os próprios deputados do PSD/Açores votaram a favor do Orçamento de Estado que prejudica a Região.