Associação de Turismo Sustentável do Faial

0
42
blank

Em Maio passado, o actual Presidente da Câmara do Comércio e Indústria dos Açores, Mário Fortuna, afirmou que os Açores deveriam ter “(…) só Hotéis de 5 Estrelas.” As declarações foram na altura devidamente rechaçadas por várias vozes, mas não deixaram de ser interessantes porque, polémicas à parte, dão corpo a uma ideia na qual ser um destino de luxo é um bem absoluto e que este mercado de “altíssima qualidade” traz muito valor acrescentado. Paralelamente, esta ideia é alimentada ainda por um certo fascínio e orgulho de sermos cada vez mais procurados/notados pelos milionários deste mundo, que nos agraciam com as suas viagens de jato privado e com a possibilidade de virem aqui fazer um investimento. Mas afinal quem serve e a quem serve o mercado de luxo? Quem são os seus promotores? Quem beneficia verdadeiramente deste segmento? Qual o seu compromisso para com um desenvolvimento local sustentável?

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura