Até para o ano Semana do Mar

0
193
TI
TI

Fechou com chave de ouro a Semana do Mar deste ano.
No sábado, o músico portuense, pai do rock português, Rui Veloso, encheu o recinto da festa, dando um grande concerto, cantando todos os seus grandes êxitos como o “Anel de rubi”, “Não há estrelas no céu”, “Chico Fininho” ou “Porto Covo” e levando todos aqueles que assistiam a revisitar o passado musical do cantor.
No domingo, perante muito público jovem e outro menos jovem, o encerramento de mais uma festa de todos os faialenses coube aos D.A.M.A., banda lisboeta composta por três jovens que, atuando no palco principal, cantaram todas as suas músicas mais conhecidas e puseram aqueles que assistiam ao concerto de braços no ar, a cantarolar e entoar os refrões das mesmas.
Foi, sem dúvida, o fim de mais uma semana de festa, que ficou marcada pelo mau tempo, chuva e vento, que obrigou inclusive ao cancelamento do concerto de José Cid, um dos músicos cabeça de cartaz deste ano. Para o ano cá o teremos certamente.
Também a própria “Ronda da Madrugada” atuou em clima de chuva e frio, mas nem isso foi argumento suficiente para afastar algum público que não se coibiu de dançar ao som das músicas que ecoavam do palco.
Um dos concertos mais aguardados, o da cantora brasileira Ludmilla, não conseguiu, no meu entender, atingir as expectativas que do mesmo se esperava, talvez resultado da pouca interação que a mesma demonstrou com o público faialense, e nem sequer se deu ao trabalho de tirar fotos e dar autógrafos a várias centenas de jovens que por ela aguardavam atrás do palco, para grande deceção dos mesmos.
Mas, como sempre, para uns poucos privilegiados, houve quem tenha conseguido entrar no camarim e tirar selfies e autógrafos com a cantora de Funk brasileiro. Não é para todos, é só para alguns.
No que respeita à feira gastronómica, pela qual muitos faialenses aguardavam para provar os petiscos e iguarias das várias zonas do país que marcaram presença neste certame, cumpriu o objetivo a que se propunha.
O mesmo se diga das tascas que, ano após ano, têm cativado mais e mais gente.
Por fim e durante a tarde de domingo, como vem sendo tradição há uns anos a esta parte, a cidade assistiu ao desfilar de centenas de marchantes representativos das diferentes freguesias da ilha e que, este ano, traziam como tema, os instrumentos musicais.
Muito público, sobretudo aquele que estava sentado na bancada montada para este propósito e o que rodeava o Largo Duque D`Ávila e Bolama, foi brindado com maravilhosas atuações dos vários grupos, vestidos e maquilhados a rigor.
Sem dúvida um espetáculo cheio de cor e brilho. No entanto, há aspetos que devem ser melhorados e corrigidos numa próxima edição, como seja o parco apoio financeiro que o Municipio atribuiu a cada uma das juntas de freguesia para este evento e a colocação de som nas artérias do centro da cidade que são percorridas pelas várias marchas, de modo a evitar que o público presente conflua apenas para o Largo Duque D`Ávila e Bolama.
E assim se passou mais uma Semana do Mar. Para o ano há mais….

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO