“Balada da Despedia” em estreia para banda filarmónica

0
28
blank
DR/miratecarts
No passado fim-de-semana, a MiratecArts comemorou o aniversário de Fernando Machado Soares com o projeto Balada da Despedida, lançado em 2020. Com arranjos de Helder Bettencourt, para Banda Filarmónica, a icónica música recebeu estreia mundial pela Filarmónica União e Progresso Madalense.
“A Balada da Despedida ́Coimbra tem mais encanto ́ é a canção que me definiu, que me lançou, que mais me caracteriza e me vai caracterizar toda a minha vida…” dizia Fernando Machado Soares, antes de falecer. Nascido em São Roque do Pico, a 3 de setembro de 1930, Fernando Machado Soares compôs e escreveu a icónica letra, a qual levou a todos os cantos do mundo. Hoje, 8 anos depois de falecer, ainda é cantada por muitos grupos de estudantes, e não só. Sendo assim, o filho da ilha montanha, sempre será lembrado por Balada da Despedida, que agora dá nome a este projeto da MiratecArts, que pretende lembrar, anualmente, o homem e a obra, assim desenvolvendo, ano após ano, algo único na ilha do Pico, em seu nome.
Este ano, depois dos arranjos estarem completos, coube à centenária instituição da Filarmónica União e Progresso Madalense, de ensaiar e executar pela primeira vez, estreando assim um trabalho primeiro elaborado por um picaroto em 1958, e agora em 2022, com uma nova roupagem, por outro grande picaroto, Helder Bettencourt.
“Ouvir a estreia de ´Balada da Despedida´ foi sentir-me parte da História, parte de uma música que conta uma história,” expressou Helder Bettencourt, enquanto o presidente da SFUP Madalense, Nuno Goulart, acrescentou que a Filarmónica estava grata pela participação, e “sempre disponível para desenvolver outros projetos com MiratecArts.” 
 
Terry Costa, diretor artístico da MiratecArts e produtor do projeto, adicionou na apresentação que “depois desta estreia, os arranjos vão ser disponibilizados a todas as filarmónicas da ilha, para adicionarem, se desejarem, ao seu repertório, uma música que faz parte de um mundo muito maior que a ilha, mas nasceu de um filho da ilha.”