Direção Regional do PCP reúne para analisar situação política e social

0
17
blank

A Direção Regional do PCP Açores (DORAA) esteve reunida no passado sábado, dia 23
de abril, na cidade da Horta, para analisar a situação política e social, tanto a nível nacional
como regional, e definir as principais linhas de intervenção política do PCP Açores.

Situação social regional

A situação social na Região tem vindo a agravar-se, com ao aumento quotidiano do custo
de vida devido, em particular, ao aumento dos preços dos combustíveis. A diminuição de
preço estabelecida pelo Governo Regional (de 11 cêntimos, até 30 de abril) não deixou de
ser um contributo para atenuar o impacto dos aumentos do combustível, que se reflete em
todos os outros bens, incluindo nos alimentos. Mas a medida fica aquém das necessidades,
tendo em conta a sua curta duração. Se se quiser minimizar os impactos negativos do
aumento do custo da vida na economia regional e local, tendo em conta a ausência de
aumentos salariais, pensões e reformas, deve ser decidida a manutenção da medida no
futuro próximo.

O PCP defende valorização do sector produtivo

O PCP defende desde sempre a necessidade premente de se promover a produção
regional e de se garantirem níveis de aprovisionamento de bens capazes de dar uma
resposta adequada face a situações de vulnerabilidade. Ou seja, o PCP bate-se para que
seja garantida a soberania alimentar.

O caminho a percorrer tem de ser iniciado quanto antes, no sentido de assegurar a
produção, o abastecimento das populações e o rendimento dos trabalhadores.

Mas o Governo Regional parece optar pelo caminho contrário, de diminuição da capacidade
produtiva. Esta escolha encerra grandes perigos. O sector produtivo, nomeadamente na
sua gestão cooperativa, é um fator estratégico para o desenvolvimento da Região.

Consideremos a título de exemplo o que se está a passar nas Flores: a Cooperativa
Ocidental tem uma importância considerável para a ilha e para a Região e, como tal, devem ser asseguradas as condições para a sua sobrevivência. O Governo Regional não se pode demitir, não pode lavar as mãos dos problemas existentes na Cooperativa Ocidental e
noutras. Deve sim colaborar responsavelmente com os agricultores florentinos para garantir a continuação da produção de laticínios nas Flores, o abastecimento da ilha quanto a estes bens alimentares essenciais e os postos de trabalho que são assegurados, direta e
indiretamente, pela cooperativa Ocidental.

Nova orgânica ou remodelação

A esperada e tão profusamente anunciada e disputada remodelação do Governo Regional
chega sob a forma de uma alteração à orgânica, mas não chega para satisfazer todas as
clientelas. No seio do principal partido que sustenta o governo regional o descrédito e a
insatisfação fazem-se ouvir, ainda que em surdina.

O Presidente do Governo Regional, uma vez mais, dá sinais da fragilidade do seu governo
ao promover uma alteração governamental por via de uma alteração à orgânica do executivo. Expõe assim não só as chantagens políticas dos seus parceiros de coligação,
mas também as insuficiências das suas opções políticas para a resolução dos crónicos
problemas sociais e económicos que, governo após governo, perduram, sem que seja dada
resposta a questões estruturantes como (entre outras) o aumento dos salários na Região.

25 de Abril, 1o de Maio e a luta dos trabalhadores

A DORAA do PCP saúda as iniciativas de comemoração do 48o aniversário do 25 de Abril,
dia da revolução, do próximo dia 1 de Maio, dia do trabalhador, e as lutas dos trabalhadores e da população, destacando de entre elas a dos trabalhadores do Arquipélago e Águas Vivas. Reafirmamos o compromisso dos comunistas açorianos de lutar pelas transformações sociais, económicas e políticas necessárias, para que a nossa Região
adote um rumo de desenvolvimento que se traduza na melhoria das condições de vida de
todos os açorianos.

O XI Congresso da Região Autónoma dos Açores

O XI Congresso da Região Autónoma dos Açores irá realizar-se nos dias 7 e 8 de maio no
Hotel Horta, na cidade da Horta, ilha do Faial, constituindo uma importante etapa da vida
do coletivo partidário.

Os trabalhos preparatórios estão a decorrer em todas as ilhas desde o início do ano, com
a construção coletiva da Resolução Política, que traça as principais orientações do PCP
para todas as áreas do desenvolvimento regional e as suas respostas para os problemas
dos açorianos. Também concretiza a visão específica do PCP para os Açores, no quadro
da política alternativa, patriótica e de esquerda que propõe ao País e à Região.

Com o reforço do PCP, relativamente a qualquer um destes assuntos, os açorianos poderão
contar com uma intervenção firme e orientada para um crescimento real e equitativamente
distribuído.