BE acusa Governo de traição por entregar 2 milhões de euros à empresa que quer destruir SATA

0
6
DR/BE
DR/BE

O Bloco de Esquerda acusa o Governo Regional de traição por atribuir dois milhões de euros em subsídios públicos à empresa Ryanair, que está a tentar destruir a SATA.

Ao mesmo tempo que a Ryanair anunciava a apresentação de uma queixa ao Tribunal Europeu contra o apoio público à SATA, o Governo Regional negociava a atribuição de dois milhões de euros à própria Ryanair. “É preciso não ter vergonha”, disse o deputado António Lima.

“É inconcebível que um governo que representa os acionistas da SATA – que são os açorianos e as açorianas – faça negócios destes com a empresa que quer destruir a SATA e a TAP”.

O Bloco de Esquerda está “do lado da salvação da SATA e não do lado das negociatas com a Ryanair”, disse o deputado do BE, que não tem dúvidas de que estes dois milhões de euros são “puros e duros subsídios públicos”.

“Seria interessante saber o que a Comissão Europeia, do alto da sua ortodoxia neoliberal, pensa deste apoio de Estado à Ryanair”, ironizou António Lima, que lembrou que sempre foi o dinheiro dos contribuintes – e não as regras do mercado liberalizado – que fizeram a Ryanair voar para os Açores. “Antes isto era feito às escondidas. Agora é feito às claras”, concluiu.

No debate de urgência sobre o sector dos transportes realizado hoje no parlamento, António Lima reforçou que “se há algo que os efeitos da pandemia vieram demonstrar é a importância de termos um setor público com capacidade de resposta às necessidades de cada momento. Isso também se reflete no transporte aéreo”.

Perante a chantagem feita pela Ryanair, que anunciou cortes selvagens para a operação em Portugal, o líder do BE pergunta se “alguém confiaria hoje as ligações dos Açores ao exterior à Ryanair”, concluindo que “mesmo com dificuldades e redução da operação, a verdade é que é a SATA a garantir o grosso das ligações ao exterior”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO