BE apresenta proposta para garantir justiça e equidade aos técnicos de diagnóstico e terapêutica

0
11
DR
DR

Bloco de Esquerda apresentou na passada segunda feira uma proposta que recomenda ao Governo Regional que proceda à revisão das carreiras dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica no sentido de garantir justiça e equidade para estes profissionais em relação às restantes carreiras do sector da saúde na administração pública, nomeadamente através do aumento dos pontos atribuídos anualmente para efeitos de progressão na carreira.

Com a passagem para a nova carreira, os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica passam a ser “os profissionais com formação superior mais mal remunerados da Administração Pública”, com “as progressões e subidas de escalão condicionadas pela atribuição de apenas um ponto por ano na carreira antiga”.

Esta situação leva a situações de grande injustiça, fazendo com que, por exemplo, “um profissional com mais de 15 anos de serviço acabe por voltar para a base da carreira”, explicou a deputada Alexandra Manes, em declarações após uma reunião com o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde nas Áreas de Diagnóstico e Terapêutica.

O Bloco de Esquerda considera que “é de elementar justiça social o aumento da pontuação atribuída por ano a todos os TSDT, independentemente do seu vínculo laboral, em conformidade com o que já acontece com outros profissionais da área da saúde”.

O objetivo da proposta do Bloco de Esquerda é “resolver este problema o mais depressa possível”, respeitando a negociação que deve decorrer entre o Governo e os sindicatos.

Tendo em conta que, ainda o ano passado, PSD e CDS – quando estavam na oposição – apresentaram propostas no parlamento que pretendiam responder a este problema, a deputada do Bloco de Esquerda espera que estes partidos – que agora suportam o Governo – mantenha a sua posição e aprovem a proposta do Bloco de Esquerda.

A proposta de Orçamento da Região para 2021, apresentada pelo Governo Regional, prevê a revisão da contagem do tempo de serviço para os profissionais do Serviço Regional de Saúde, mas não aponta critérios para esta revisão. Esta proposta do Bloco de Esquerda pretende dar as orientações para que esta revisão seja justa e responda às reivindicações dos profissionais.

“É uma oportunidade para todos os partidos se pronunciarem sobre os moldes em que deve ser feita a revisão”, respeitando a negociação com os sindicatos, mas garantindo um ponto de partida que respeita as reivindicações dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica e que coloque “um ponto final na assimetria” que existe entre a carreira dos TSDT e as restantes carreiras na área da saúde, adiantou a deputada Alexandra Manes.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO