BE defende redução de alunos por turma para garantir distanciamento físico adequado nas aulas

0
15
DR/BE
DR/BE

“Numa altura em que há redução de lotação nos restaurantes, nas salas de espetáculo, nos autocarros, não se compreende que não haja uma redução da lotação nas salas de aula”, disse hoje o deputado do BE, António Lima, que considerou “inaceitável” que o Governo impeça as escolas de reduzir o número de alunos por turma de modo a cumprir o distanciamento físico entre os alunos.

“Nas escolas, como esta, que não têm salas que permitam um distanciamento físico adequado, é incompreensível que não se possa reduzir o número de alunos por turma”, disse António Lima, após uma visita à escola Básica e Secundária da Povoação.

O deputado do BE aponta a incoerência das orientações do Governo, que, por um lado, determinam uma distância mínima entre os alunos no refeitório, mas não estabelece uma distância mínima durante as aulas, onde os alunos vão passar a maior parte do tempo.

António Lima diz mesmo que esta opção do Governo só pode ser explicada por motivos economicistas: “É que reduzir o número de alunos por turma tem custos, porque é preciso contratar mais professores”.

“Ainda há tempo para corrigir esta medida, permitindo às escolas fazer uso da sua autonomia para reduzir o número de alunos por turma sempre que for necessário, e disponibilizando os recursos necessários para contratar mais professores”, defende o BE.

O BE insiste também na necessidade de reforçar a quantidade de funcionários nas escolas, tendo em conta que será necessário garantir regras exigentes na higienização dos espaços.

Além disso, se as escolas já estavam com falta de funcionários, a situação vai agravar-se, porque muitos destes funcionários têm idade superior a 60 anos, podendo não ir trabalhar por pertencerem a um grupo de risco.

António Lima salienta que “a solução não pode ser recorrer a programas ocupacionais”, porque estes programas “destinam-se a formação, e não podem continuar a ser utilizados para dar resposta às necessidades permanentes das escolas”.

“Neste momento, são os programas ocupacionais que garantem que as escolas se mantêm abertas”, critica o deputado.

No que diz respeito à Escola da Povoação, António Lima diz que “há muitos anos que é necessário construir uma escola nova, mais do que remendos, que é o que tem sido feito ao longo dos últimos anos”.

A escola tem um recreio com dimensões desadequadas ao número de alunos, não tem qualquer espaço de convívio interior, o que obriga os alunos a ficar nos corredores em dias de chuva, e o ginásio está inativo há muitos anos, obrigando os alunos a circular na vila para se dirigirem às aulas de educação física.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO