BE vai estar atento à votação de PS e PSD sobre acordo com o Mercosul que é prejudicial aos Açores

0
9
DR

Bloco de Esquerda alerta para as consequências negativas do acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul para a agricultura dos Açores e garante que votará contra quando o assunto for à Assembleia da República. António Lima vai estar atento à votação dos deputados dos Açores do PS e PSD, que têm votado sempre a favor deste tipo de acordos que prejudicam os pequenos produtores.

Em declarações após uma reunião como presidente da Associação Agrícola de São Miguel, o candidato do BE à Assembleia da República considerou que este acordo comercial – que ainda tem que ser aceite pelos parlamentos dos vários países da União Europeia, é uma “nuvem negra que paira sobre a agricultura dos Açores”.

“Está em causa a entrada no mercado europeu e no mercado nacional de milhares de toneladas de carne da América do Sul, principalmente da Argentina e do Brasil, que não cumpre com as mesmas regras ao nível sanitário, de segurança alimentar, e muito menos ambiental, e que chegarão a um preço muito mais baixo porque não têm que cumprir as mesmas regras que a nossa produção”, alerta António Lima.

“Basta ver os problemas que estão a acontecer na Amazónia. Os incêndios na Amazónia têm a ver com a força que a poderosa indústria de carne no Brasil está a impor, até de forma ilegal, para aumentar a sua produção, também com esta perspetiva de exportar mais para a UE”, acrescentou.

António Lima lembra que, apesar de agora os candidatos do PSD pelos Açores serem críticos deste acordo com o Mercosul, na Assembleia da República, o PSD tem sido sempre a favor deste tipo de acordos internacionais feitos pela União Europeia. “Veremos se os deputados do PSD Açores vão estar do lado dos Açores ou do lado que sempre estiveram, que é o lado dos acordos comerciais internacionais”.

O BE estará também atento à votação dos deputados do PS eleitos pelos Açores sobre este acordo que é “extremamente prejudicial para a economia da Região”.

Ainda sobre a Agricultura, o candidato do BE defendeu o aumento dos apoios da União Europeia à produção regional, nomeadamente o POSEI.

“Não é aceitável que o POSEI seja reduzido, nem que se mantenha”, porque “o valor é já o mesmo há vários anos, e portanto, a manutenção significará uma perda real”.

António Lima critica a opção da União Europeia de canalizar mais investimento para a Defesa militar e para a gestão das fronteiras, com prejuízo para os sectores produtivos. “Isso é extremamente penalizador para Portugal, e principalmente para as Regiões Ultraperiféricas como os Açores”, disse.

Ponta Delgada, 19 de setembro de 2019

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO