Boas práticas ambientais – Duas dezenas de empreendimentos turísticos do Faial ostentam o galardão Miosótis Azores

0
114
DR

DR

Em 2018 o Galardão Miosótis Azores distinguiu mais quatro empreendimentos de alojamento turístico no Faial.
Porto Pim Bay, Manta Ray Lodge, Lofts Azul Pastel e Quinta do Canto, juntam-se assim à lista das 20 unidades faialenses que ostentam este galardão.

Quatro unidades de alojamento turístico do Faial foram premiadas pela primeira vez com o galardão Miosótis e seis renovaram o certificado em 2018. Juntando-se às que ainda mantém válida a certificação do ano anterior, no total são 20 os empreendimentos faialenses distinguidos pelas boas práticas ambientais.
Casa do Lado, Apartamento Olímpio, Azores Faial Garden, Casas d’Arramada, nos Cedros, Casas do Capelo, Casas da Fajã, Casa dos Salgueiros, Manta Ray Lodge, Pátio – Horse & Lodge, Porto Pim Bay, Pousada de Santa Cruz, Quinta das Buganvílias e Quinta da Meia Eira em Castelo Branco, a Quinta do Canto e a Quinta do Vale nos Flamengos, Lofts Azul Pastel, Residencial de S. Francisco, Toca da Raposa e ToP Floor são os estabelecimentos locais que ostentam este galardão.
O Galardão Miosótis Azores é uma iniciativa do Governo dos Açores lançada em 2012, operacionalizada pelas secretarias regionais do Turismo e da Agricultura e Ambiente que tem em vista premiar as unidades de alojamento turístico que implementam nos seus estabelecimentos boas práticas ambientais.
Em 2018, foram atribuídos 18 novos galardões na Região e mais 37 foram renovados. Do total dos 103 empreendimentos premiados, a ilha de São Miguel, regista 35 empreendimentos turísticos certificados, detendo o maior número de galardões atribuídos, seguindo-se a ilha do Faial, com 20 e a Terceira com 13.
A entrega dos prémios e certificados, decorreu na passada semana, na ilha da Graciosa, numa cerimónia que contou com a presença da Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo.
Na ocasião, Marta Guerreiro destacou que a atribuição “do galardão Miosótis a 18 novos alojamentos turísticos, registando-se também 37 renovações, evidencia que as práticas sustentáveis são cada vez mais importantes para os empreendedores do setor”.
Apesar de satisfeita com o facto de todos os anos a secretaria entregar novas distinções, para além das renovações já existentes, a governante salientou, a importância de “fazer crescer o número, já alargado, de alojamentos galardoados como exemplos de boas práticas, com preocupações em áreas como a gestão de resíduos, o uso da água e da energia, a aposta na biodiversidade e na valorização local ou ainda preocupações ao nível da informação e gestão ambiental”.
Segundo a titular da pasta, nos últimos anos, os Açores têm vindo a “ganhar relevância” no que se refere ao turismo sustentável, o que se traduz em “reflexos positivos no aumento do número de visitantes”, mas também obriga a uma “redobrada necessidade de manutenção e atualização dos padrões considerados sustentáveis no setor do turismo”, entende.
Neste sentido considerou que “este é um caminho que temos vindo a seguir, numa estratégia de desenvolvimento que cria uma visão comum e posiciona os Açores como um destino turístico de referência a nível internacional nesta matéria”, lembrando a este respeito, o início do processo de certificação do Destino dos Açores como sustentável, a alcançar em 2019.
Para Marta Guerreiro o galardão, representa uma “marca ambiental credível e rigorosa, que reconhece as boas práticas dos alojamentos, ao mesmo tempo que sensibiliza, quer funcionários, quer clientes, para o uso alargado das boas práticas ambientais”, frisou.
O Miosótis atribui vários níveis de reconhecimento a empreendimentos turísticos regionais pelos seus bons comportamentos ambientais, implementados em diferentes valências, nomeadamente ao nível da poupança de recursos, da correta gestão dos resíduos e da valorização local, num processo totalmente gratuito, quer de inscrição, quer de renovação, uma vez que é válido por dois anos.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO