Câmara da Horta já integrou 50 desempregados nos seus serviços

0
15

A Câmara Municipal da Horta (CMH) integrou, na passada segunda-feira, mais 31 faialenses desempregados nos seus serviços. Estes juntam-se aos 20 trabalhadores que já exercem funções no município desde o final de 2013, no âmbito do programa “Recuperar”, de combate ao desemprego.

De acordo com nota enviada às redações, estes trabalhadores “vão realizar diversas funções na CMH durante 6 meses, podendo esse programa ser renovado por igual período de tempo”.

Na receção a estes trabalhadores, o presidente da CMH lembrou que o apoio às famílias faialenses, em especial as afetadas pelo desemprego, foi um dos seus compromissos eleitorais.

Para José Leonardo Silva, a ocupação destes 50 faialenses, a maioria dos quais inscritos no Centro de Emprego da Horta desde 2010, é uma oportunidade de reconversão profissional, para além de ter subjacente a principal preocupação de ajudar as suas famílias.

Neste contexto, o município deu prioridade às pessoas que estavam inscritas no Centro de Emprego da Horta sem auferir qualquer rendimento social e aos agregados que tivessem outros membros da família também inscritos e em situação de desemprego.

“Foi este o nosso compromisso e esperamos poder contribuir para ajudar as nossas famílias e para minimizar o impacto social do desemprego na ilha do Faial”, considerou o autarca.

Dos 31 trabalhadores agora integrados, 23 possuem qualificações mínimas ou não têm qualquer tipo de qualificação, quatro têm o 12.º ano de escolaridade e quatro têm qualificações de nível superior.

Em termos de afetação, a maior parte foi integrada nos serviços de armazém, eletricidade, pintura, mecânica e obras, assim como nos serviços de higiene e limpeza, com desempenho de funções em equipamentos municipais como a Central de Triagem ou as instalações sanitárias públicas. Foram também integrados trabalhadores nas áreas de planeamento urbano, serviço de águas e processamento de resíduos, serviços administrativos, contabilidade e arquivo, assim como na dinamização de áreas desportivas ao nível do centro hípico ou das zonas de campismo.

O programa Recuperar, lançado pelo Governo dos Açores, pretende apoiar a inserção profissional das pessoas inscritas há mais de quatro meses nas Agências para a Qualificação e Emprego e que se encontrem numa situação de desemprego e não aufiram subsídio de desemprego. O apoio a atribuir aos destinatários do programa é igual ao salário mínimo regional, podendo ser majorado em função da qualificação apresentada pelos desempregados, até ao limite de 1,5 desse salário no caso dos desempregados licenciados. O apoio é atribuído pela Região, cabendo às entidades promotoras dos projetos candidatáveis ao programa, neste caso a CMH, a respetiva contribuição mensal para a Segurança Social.