Câmara de Ponta Delgada continua sem estratégia e a navegar à vista, diz Vítor Fraga

0
35

Os vereadores eleitos pelo PS/Açores à Câmara Municipal de Ponta Delgada criticaram, esta quarta-feira, “a passividade, a inação e falta de estratégia revelada pela maioria social democrata que governa Ponta Delgada há mais de 26 anos”.

“Todos sabem que o atual Presidente da autarquia não tem um projeto nem uma estratégia clara para a cidade e para o concelho. Isto, infelizmente, é confirmado quer pela gestão diária da autarquia, feita ao sabor das circunstâncias, quer, ainda, pelo facto de José Bolieiro se ter recusado a apresentar um programa de governação para a maior cidade açoriana, inviabilizando, também por esta via, que os cidadãos possam, com o devido rigor, escrutinar devidamente a gestão camarária”, criticou Vítor Fraga.

Para o vereador socialista, “é absolutamente insólito que chegados a quase meio mandato, todas as grandes questões e todos os grandes desafios com que Ponta Delgada se confronta, seja na reabilitação urbana, seja na gestão e recolha dos resíduos, ou ainda em matéria de políticas de habitação e de transporte, esteja tudo praticamente na mesma, ou pior, do que aquando das eleições autárquicas de 2017”.

“Os cidadãos de Ponta Delgada precisam, e merecem, uma equipa camarária que resolva efetivamente os seus problemas e não um Presidente de Câmara que mais parece apostado em ganhar um qualquer recorde do Guiness para o político que mais placas evocativas produziu nos últimos anos”, criticou.

Vítor Fraga esclareceu que os vereadores socialistas votaram hoje contra, na reunião do executivo camarário, uma proposta do presidente da autarquia que visa aumentar para 1,2 milhões de euros o valor anual pago pelo município à empresa Musami.

“Ponta Delgada é o concelho que mais resíduos sólidos produz em S. Miguel e não é, por isso, admissível, nem politicamente aceitável, que continue a ser um dos piores municípios da lha no que à recolha seletiva diz respeito”, denunciou.

Os vereadores socialistas defendem uma revolução na política de gestão e recolha de resíduos no concelho de Ponta Delgada, assente em princípios de economia circular e desperdício zero, tendo como suporte uma forte consciencialização e educação ambiental, com estímulo à separação e com uma logística adequada.

“Exige-se igualmente que o Sr. Presidente da Câmara cumpra com os compromissos que assume, pois não nos podemos esquecer que em novembro de 2017, José Bolieiro comprometeu-se em criar um grupo de trabalho para encontrar as melhores soluções para a recolha de resíduos sólidos urbanos e até hoje, tal como sucede em variadíssimas áreas, ficou-se apenas pela intenção. Já basta de promessas incumpridas. Ponta Delgada precisa de ação, planeamento e estratégia”, concluiu Vítor Fraga.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO