Carlos Furtado: “Programa de apoio à produção de energia não vai satisfazer as necessidades dos açorianos”

0
18
blank
DR

Carlos Augusto Furtado – Deputado independente da A.L.R.A.A

Carlos Furtado entende que a aprovação do programa de apoio aos consumidores, para a
compra de painéis fotovoltaicos para produção de eletricidade, foi um processo que não
resultou na forma mais justa para com toda a sociedade, assim como, não permitindo a
armazenagem de energia, diminui a eficácia das soluções de produção de energia.

O Projeto de Decreto Legislativo Regional foi apresentado no mês passado, com intenção
de ser aprovado, mas por motivos de estratégias partidárias de alguns partidos, o mesmo
só foi aprovado agora.

Na sequência deste atraso e das várias propostas de alteração apresentadas, a versão
final aprovada, é no entender do parlamentar independente, pior do que a que esteve na
iminência de ser aprovada em março.

O deputado independente que havia apresentado algumas alterações ao programa inicial,
das quais incluía a comparticipação parcial na aquisição de baterias assim com limitar as
candidaturas a 80 Kw, evitando-se assim o açambarcamento por parte dos grandes grupos
económicos regionais, permitindo que pequenas e micro empresas, assim como as
instituições sociais, desportivas e outras, pudessem candidatar-se ao total da capacidade
das suas necessidades energéticas, como irá acontecer apenas para clientes particulares.

Furtado lamenta que, á luz do que ficou aprovado hoje, estes referidos pequenos
empresários e instituições, possam apenas candidatar-se a 60% das suas necessidades
de energia, tendo manifestado a sua insatisfação pela aprovação com estas limitações,
dando nota que acredita que dentro de pouco tempo haverá necessidade de este diploma
voltar à Assembleia Regional, para correção destas desigualdades voluntariamente
aprovadas.