CDS de volta no Faial

0
7

Nanja que nem sempre tenha deixado de estar, embora, com fraca votação.
Eis que agora aparece assaz renovado com a liderança jovem de Rui Martins.
E como dissemos em anterior edição do “Tribuna”, voltou a ser 3.ª. força partidária na Ilha, conquanto à rasquinha, já que apenas a meia dúzia de votos do Bloco marxista.
Faz-nos recordar os primeiros anos de Autonomia, em que nas Regionais de 1984 chegou a amedrontar os PPDês, então ainda senhores e donos, com 3 dos 4 deputados no Faial.
Aliás, devido à inesperada limitação do cabeça de lista, constituída por gente ligada a lavoura, é que Rafael Luís não foi o primeiro democrata-cristã eleito pelo Faial no Parlamento da Horta.
Mas nas Autárquicas que se seguiram, foi com o PSD. os únicos concorrentes aos três Órgãos.
E na Praia do Norte os dois Partidos defrontaram-se em renhido plenário, em que o CDS, não sendo favorito ganhou claramente, tanto a Junta como a Assembleia: foram eleitos, respectivamente, Manuel Andrade (o popular baleeiro) e seu tio, António Andrade, militante centrista da primeira hora
E, durante anos, a Freguesia renascida das cinzas vulcânicas dos Capelinhos, passou a ser o baluarte dos Democrata-cristãos faialenses.
Mas deixemos águas que não fazem mover moinhos, como se diz, embora sirvam para lembrar tempos passados, razão deste breve recordar.
A votação em Outubro já é um bom indício, confirmado na recepção feita a Rui Martins, acompanhado da Deputada faialense Graça Silveira, rejeitada em 2012 pelos patrícios, e de outros militantes, em Campanha pela ilha.
Especialmente entre o Salão e o Capelo ouviram a gente nova: os nossos pais falam-nos desse Partido.
E terminamos, repetindo o desejo de Rui Martins, activo líder faialense, expresso em entrevista a este semanário em fins de Setembro:
– “Gostaria de acabar com o empate que empata o Faial”.

TEMPLOS REMODELADOS
No domingo , 6 de Setembro , participei pela TVI na Missa celerada pelo Bispo da Guarda, senhor D. Manuel Felício, na Igreja paroquial de S. Pedro, Covilhã, e comemorativa do 37.º aniversário da Comunidade de escutas e guias da CNE.
Um templo de remodelação algo recente, mantendo intacta a torre característica da Região Centro e mantendo as linhas principais da Frontaria, enquanto o amplo interior, mais condizente com a liturgia actual.
Não sabendo da razão, fez-nos, porém, lembrar a Igreja dos Flamengos, danificada pelo intenso sismo que assolou o Faial em 1998 tendo finalmente sido aberta aos fieis.
E pelo que vi nas fugidias e habituais coberturas televisivas, a Frontaria não perdeu sua identidade, mas do interior pouco vi, embora tenha ouvido boas referências.
Ora, se não sabemos a razão que levou a alteração, q b do templo na Covilhã, o mesmo não sucede com o dos Cedros destruído há anos, por violento incêndio, de origem nunca esclarecida, e aos do Salão e de Pedro Miguel danificados pelo tremor de terra atrás referido, e que parece estarem esquecidos, ou não estaremos devidamente informados ?

FAIAL PAIXÃO DE PINTORES!
Pelo “Tribuna” fiquei a saber, com agrado, que categorizada pintora continental tem vindo a residir, ora em Lisboa, ora no Faial
Trata-se de Lúcia Franco que se apaixonou pelas belezas e clima dos Açores, em especial da Ilha Azul das hortênsias.
Dedica-se também à aguarela o que nos fez retroceder aos anos 70 do século passado, em que, com a esposa, viveu na minha ilha, o então já famoso pintor belga Ferdinand Bouton que fez exposições assaz apreciadas, algumas no salão do “Amor da Pátria”.
Na Horta, o distinto casal relacionou-se particularmente com a Família Decq Mota.

FAIALENSES NO GOVERNO
Do novo Governo Regional liderado pelo socialista Vasco Cordeiro, empossado a 4 de Novembro na Assembleia Legislativa dos Açores (Casa da Autonomia); faz parte, como Secretário do Mar, Ciências e Tecnologia, Gui Meneses que é o primeiro faialense a integrar o executivo do PS.
Embora já tenha sido devidamente divulgada a constituição do Governo em apreço, apraz-nos referir que o Faial mantém as duas Secretarias Regionais: Mar, Ciências e Tecnologia e Agricultura e Florestas.
Se bem que não se trata de caso inédito, pois o saudoso Alberto Madruga da Costa foi até Presidente do Governo Regional e da Assembleia aquando do tempo do PSD
Também nos agrada saber que o nosso patrício Filipe Porteiro, director do Parque Marinho dos Açores, continua à frente da Direcção Regional dos Assuntos do Mar.
Como se sabe, são dois ilustrados membros do DOP no Governo açoriano.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO