CDS defende melhores condições para o Conservatório de Ponta Delgada

0
7

Os candidatos do CDS-PP pela ilha de São Miguel às próximas eleições legislativas regionais reuniram este sábado com o conselho executivo do Conservatório Regional de Ponta Delgada, no âmbito dos contactos que têm vindo a estabelecer com diferentes instituições ligadas à educação e à cultura, com o objetivo de conhecer o seu trabalho, perceber as dificuldades que enfrentam e apresentar as suas propostas naquelas áreas.

O cabeça de lista, Nuno Gomes, afirmou que «o Conservatório Regional de Ponta Delgada, com quase 600 alunos e com uma notável história e dinâmica no ensino da música, é verdadeiramente o conservatório da ilha de São Miguel, assumindo-se também como um dos maiores produtores culturais da ilha», sendo por isso que defende que «o Governo Regional deve reconhecer o seu trabalho e dar-lhe todas as condições necessárias ao cumprimento da sua missão».

«Neste sentido,» prosseguiu Nuno Gomes, «o Governo Regional deve afetar definitivamente ao Conservatório todo o espaço da Igreja da Graça, antiga Academia das Artes, criando condições para que tenha, como precisa urgentemente, de mais salas de aula, e um espaço – a nave central da antiga Igreja – para as classes de conjunto ensaiarem e realizarem as suas audições».

Nuno Gomes, salientando que «a Igreja da Graça não pode permanecer na situação de impasse e de abandono em que se encontra atualmente», defendeu ainda que, «no âmbito da valorização da educação e da cultura, o Governo Regional proceda à requalificação do Auditório de Camões, que já possui quase 40 anos ao serviço da cultura da nossa ilha, necessitando de intervenção e atualização, dotando-o de melhores condições de conforto e de funcionalidade».

O cabeça de lista do CDS-PP pelo círculo eleitoral de São Miguel recordou ainda que «o Conservatório não possui atualmente recreio para os alunos, que seria essencial para o seu bem-estar, e tem falta de assistentes operacionais, tendo ao momento apenas seis assistentes e cerca de dez trabalhadores integrados em programas ocupacionais».

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO