Chega confiante em eleger “mais do que um deputado”

0
8

O líder do Chega nos Açores, Carlos Furtado, candidato às regionais de 25 de outubro, manifestou-se hoje confiante na eleição de “mais do que um deputado”, alegando que o partido “rompeu bastante com o politicamente correto”.

Estamos confiantes na eleição de mais do que um deputado. E isto não se traduz numa ambição, isto traduz-se na vontade de estar ao serviço do povo açoriano e esse serviço será tanto maior e de tão melhor qualidade quanto maior for a nossa representação no parlamento regional”, sublinhou Carlos Furtado, em declarações à agência Lusa, no âmbitode uma visita à freguesia das Furnas (concelho da Povoação), um dos principais pontos turísticos de São Miguel, no arranque da campanha.

Carlos Furtado é o cabeça de lista do Chega pela ilha de São Miguel nas eleições legislativas regionais, cabendo ao secretário-geral da estrutura partidária, José Pacheco, encabeçar a lista pelo círculo de compensação.

“Rompemos bastante com o politicamente corretoe estamos a ser mais objetivos naquilo que temos apontado como sendo os problemas da nossa região”, vincou o líder regional do Chega, que disse não ter “a menor dúvida” de que “os açorianos vão estar recetivos às propostas” do partido.

Alias, acrescentou, “a elevada abstenção que se tem verificado nos Açores é sinal de que as pessoas e o povo açoriano têm estado pouco conotados com aquelas que têm sido as alternativas em termos de mensagem” na política no arquipélago, sustentou.

O candidato considerou que o Chega “apareceu com uma mensagem mais direta” que elenca “os problemas que a população sente no seu dia”.

“E isso faz com que as pessoas se identifiquem com a nossa mensagem”, realçou, frisando que o Chega “é um partido alternativo à governação atual” do PS.

No primeiro dia da campanha, o partido escolheu uma abordagem às questões ambientais, tendo contactado com as populações de Vila Franca do Campo, onde está localizado um ilhéu, e da freguesia das Furnas.

“A preservação do ambiente é que será seguramente o suporte para o sucesso do turismo na região”, sublinhou à Lusa.

O Chega concorre às eleições para o parlamento açoriano por oito círculos, sete de ilha e um de compensação – o partido não tem candidaturas apenas nas ilhas das Flores e do Corvo.

As legislativas dos Açores estão marcadas para 25 de outubro, com 13 forças políticas candidatas aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSDCDS-PP, BE, CDUPPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.572 eleitores.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO