CHEGA: “Programas ESTAGIAR não podem adiar a vida dos jovens”

0
30
DR/CHEGA
DR/CHEGA

CHEGA/Açores

Os programas ESTAGIAR são algo positivo mas que depois, na operacionalização, acabam por adiar “o ingresso na carreira e no mundo do trabalho para muitos jovens”.

As palavras são do deputado do CHEGA José Pacheco que, durante uma intervenção a propósito da discussão do Projecto de Resolução para ‘Promoção de melhorias nos Programas ESTAGIAR’, disse na Assembleia Legislativa Regional dos Açores que se, por um lado, os estágios ajudam os jovens a criar hábitos de trabalho, por outro, acabam por arrastar a sua entrada no verdadeiro mercado de trabalho.

O parlamentar do CHEGA reconheceu, no entanto, as mais-valias do diploma em apreciação que impõe regras nos programas ESTAGIAR e salvaguarda as necessidades das ilhas com maior necessidade de mão-de-obra.

“Temos de ter um programa com regras, salvaguardadas neste diploma, e bem. É preciso salvaguardar as ilhas em que há falta de pessoal qualificado e concordo. Não podemos é voltar a cair no erro de ter um programa que vai novamente adiar a vida dos jovens. A mim muito me custa ver os jovens andarem assim. Temos de resolver estas questões”, referiu José Pacheco.

Em plenário, que decorre na cidade da Horta deste Terça-feira, o CHEGA lembrou que “soluções avulsas não são solução” e pediu aos partidos que sustentam o Governo Regional que “tenham coragem para resolver estas situações”. É que, avançou, “se continuarmos a ter programas em que tudo é possível, os nossos jovens vão estagiar numa e noutra e noutra empresa e só conseguem emprego aos 30 anos”.

“Não podemos ter programas ESTAGIAR que vão adiar a vida dos jovens” que assim só entram no mercado de trabalho muito tempo depois de terminarem os estudos, concluiu José Pacheco.