Ciclismo – 310 quilómetros divididos em três etapas

0
9
DR

O GP dos Açores está dividido em três etapas, a disputar em três dias, prometendo muita dificuldade para os 86 participantes.

É já amanhã que vai para a estrada o GP dos Açores. A prova está dividida em três etapas, a disputar entre sexta-feira e domingo, num total de 310 quilómetros.

Para os 86 ciclistas participantes, são esperadas muitas dificuldades, muito “por culpa” do relevo da ilha de São Miguel.

No dia 17 de Maio, a etapa fará a ligação entre Ponta Delgada e Nordeste, com passagens por Ribeira Grande, Lagoa, Vila Franca do Campo, Furnas e Povoação, numa extensão total de 97 kms.

No dia 18 de Maio, haverá uma etapa de 114 kms que ligará Nordeste a Lagoa, com passagens por Ribeira Grande, Capelas, Bretanha, Ginetes, Relva e Ponta Delgada.

No último dia, a última etapa terá uma extensão de 99 kms que ligará Lagoa ao cimo da Lagoa do Fogo, com passagens por Ponta Delgada, Ginetes, Várzea, Sete Cidades. Arribanas, São Vicente, Fenais da Luz, Pico da Pedra e Ribeira Grande.

Cada etapa terá dois Pontos Quentes para a atribuição de pontos para o prémio da regularidade.

Estando em São Miguel, a montanha irá marcar presença em todas as etapas, em particular nas etapas 1 e 3. Durante os 310 kms da prova, os atletas terão de ultrapassar um desnível acumulado de 7017 metros.

Na etapa 1, com um desnível acumulado de 2928 metros, vão existir 3 prémios de montanha, dos quais um de 2ª Categoria, um de 3ª categoria e um de 1ª categoria.

A Etapa 2 será a mais longa e também a mais rolante, com um desnível acumulado de 1626 metros, na qual ainda assim vão existir dois prémios de montanha, ambos de 3ª categoria.

A última etapa terá 5 prémios de montanha, três dos quais de 3ª categoria, um de 2ª categoria e um de 1ª categoria. Uma parte significativa dos 2426 metros que os atletas terão de ultrapassar, na última etapa, está guardada para os últimos 10,2 kms, a subida à Lagoa do Fogo, com um pendente médio de 7,6%.

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO