Colóquio Mark Twain – Um viajante inocente?

0
66

Numa organização do Centro de Estudos Gaspar Frutuoso, Universidade dos Açores, FLAD e Núcleo Cultural da Horta, realizou-se na cidade da Horta, na passada semana, um colóquio alusivo a Mark Twain e ao centenário da morte deste escritor/jornalista.

Em análise estiveram temáticas transversais a esta personalidade que foi Mark Twain e à sua passagem pelos Açores, mais concretamente pela ilha do Faial, como a literatura de viagens, os encontros e desencontros artísticos e o olhar critico de Mark Twain sobre os europeus, e, o mais importante mesmo, “A Horta de Mark Twain”.

Na ocasião, Margarida Machado, do Centro de Estudos, disse aos jornalistas que “quando, em 1847, o vapor Quaker City partiu dos Estados Unidos, como o primeiro cruzeiro turístico transatlântico com destino a vários países do velho continente, para alcançar a longínqua Terra Santa, trazia a bordo Mark Twain. Uma borrasca inesperada acabou por trazer o navio até ao Porto da Horta e por cá ficaram dois dias. Na sua obra, Mark Twain descreve a paisagem, os hábitos e os costumes, e tece elogios à hospitalidade da família Dabney. Ora, numa altura em que se assinalam os cem anos da sua morte, justifica-se a iniciativa deste colóquio abordando a propósito do acontecimento a obra e o homem, a par de factos acontecidos à margem da escala deste navio e que se revestem de especial interesse”.

blank

O livro de Mark Twain foi traduzido para português e lançado na Horta com o título “A viagem dos inocentes”.

Esta responsável considera a literatura de viagem como indispensável para o conhecimento da época “saber a nossa história é fundamental para se praticar uma cidadania

Mark Twain foi “um profundo filósofo com a visão de um profeta", afirmava o jornal "San Francisco Call" após saber da morte do escritor e jornalista Samuel Langhorne Clemens no dia 21 de abril de 1910 – ou Mark Twain, como ficaria conhecido na posteridade.

Mark Twain ficou conhecido por ser o autor de "As Aventuras de Tom Sawyer", "Huckleberry Finn" e "Príncipe e Mendigo" que o tornaram merecedor do título de "pai da literatura americana".

As origens de Twain dizem muito sobre sua obra: nasceu no dia 30 de Novembro de 1835 na cidade de Florida mas foi o porto de Hannibal, para onde foi com a sua família aos quatro anos, o cenário à beira do Mississipi no qual se inspiram as correrias de Tom e de Huckleberry, em que o autor colocou muitas de suas vivências. Entre elas, sua relação com a escravidão, que viveu de perto no Mississipi.

Aos 18 anos foi para Nova Iorque onde se iniciou no jornalismo, mais tarde retornou ao Mississipi onde se dedicou a pilotar navios pelo rio.

Voltou ao jornalismo no "Territorial Enterprise", na Virgínia, onde usou pela primeira vez o pseudónimo com o qual passaria à posteridade.

Twain compilou os seus artigos de viagens, na obra: "Guia Para Viajantes Inocentes" (1869). Foi o primeiro grande escritor americano que não procedia da costa leste; o primeiro a utilizar uma linguagem que se parecia a que o povo falava na realidade.