Combate à exclusão social – Projeto “Equipa-te” vai ser alargado a outras ilhas dos Açores

0
24
DR/Gacs

DR/Gacs

O projeto de combate à exclusão social de jovens “Equipa-te”, que teve a sua primeira edição em São Miguel, mas vai ser alargado a outras ilhas do arquipélago.

O anúncio foi feito pelo Diretor Regional da Juventude, Lúcio Rodrigues após uma reunião com a Direção da Associação de Promoção de Públicos Jovens em Risco (APPJ).

 

O Diretor Regional da Juventude anunciou, no passado dia 7 de fevereiro, que o Governo dos Açores vai desenvolver a metodologia do projeto “Equipa-te”, iniciativa de combate à exclusão social de jovens através do desporto aplicada em São Miguel, noutras ilhas da região.

“Estamos a estudar para que ilhas devemos avançar, de forma a maximizar o combate à exclusão social de jovens”, afirmou Lúcio Rodrigues, após uma reunião com a direção APPJ.

Salientando o sucesso da primeira edição deste projeto, Lúcio Rodrigues, esclareceu que “durante cerca de um ano e meio, na Ribeira Grande, 72 jovens entre os 13 e os 18 anos participaram em atividades que potenciaram as suas competências pessoais e interpessoais, num trabalho conjunto entre a APPJ, o Sporting Clube Ideal e a Direção Regional de Juventude”, reforçando que agora o objetivo é “alargar esta metodologia a, pelo menos, duas outras ilhas dos Açores”.

Segundo Lúcio Rodrigues, esta metodologia de trabalho, na qual são desenvolvidas dinâmicas de grupo, permite “trabalhar temas como a ansiedade, a gestão da frustração, a coesão de equipa ou a liderança”.

O detentor da pasta da juventude defendeu que este método de trabalho possibilita um “trabalho integrado, abrangendo também a formação de famílias, de treinadores e agentes desportivos de várias modalidades, enquanto agentes de mudança no comportamento e no percurso de vida dos jovens”.

“Ao abrigo do projeto ‘Equipa-te’, que decorreu entre 2016 e 2017, foi criado um Guia Prático de Intervenção Psicossocial com Jovens no Desporto, uma obra que conta com um prefácio de Pedro Pauleta”, adiantou o Diretor Regional, para quem “faz sentido alargar esta metodologia, que produziu resultados positivos em São Miguel, a outras ilhas”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO